19/04/2011

Índice de reajuste do aluguel desacelera para 0,55% na segunda leitura de abril, aponta FGV

Fonte: O Globo

Rio de Janeiro – A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) ficou em 0,55% no segundo decêndio do mês de abril. Trata-se de uma desaceleração frente ao mês anterior, quando havia sido de 0,59%. No ano, o índice tem alta de 2,99% e, em 12 meses de 10,71%.

(Foto: Divulgação)
Em 12 meses, o índice que influência os contratos de alugueis teve alta de 10,71% (Foto: Divulgação)

Os preços no atacado puxaram a trajetória dos preços. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou variação de 0,51%, na segunda leitura de abril. No mesmo período do mês anterior, a variação foi de 0,68%.

As Matérias-Primas Brutas tiveram sua taxa de variação reduzida de 0,68% para 0,07%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: algodão (em caroço), café (em grão) e laranja. Em sentido oposto, destacam-se: soja (em grão), suínos e cana-de-açúcar. Os Bens Intermediários também desaceleraram e passaram de 0,66%, em março, para 0,51%, em abril.

Por outro lado, os Bens Finais avançaram de 0,69% para 0,91%. A maior contribuição para esta aceleração teve origem no subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,30% para 0,96%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,65%, no segundo decêndio de abril, ante 0,45%, no mesmo período do mês anterior. Cinco das sete classes de despesa registraram acréscimos em suas taxas de variação, com destaque para o grupo Alimentação (0,19% para 0,64%). Nesta classe de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens: carnes bovinas (-2,34% para 0,21%), laticínios (0,02% para 1,48%) e hortaliças e legumes (2,27% para 2,71%).

Também registraram acréscimos os subgrupos Transportes, Educação, Leitura e Recreação, Vestuário e Saúde e Cuidados Pessoais. Entre os itens que tiveram elevação de preços estão: gasolina (0,39% para 3,80%), passagem aérea (-12,00% para 3,58%), calçados (0,01% para 1,22%) e medicamentos (0,23% para 1,02%).

Em sentido oposto, apresentaram recuos em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,53% para 0,31%) e Despesas Diversas (0,42% para 0,29%). Os itens que mais influenciaram a desaceleração destes grupos foram: aluguel residencial (0,74% para 0,03%) e jogo lotérico (1,59% para 0,00%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou, no segundo decêndio de abril, variação de 0,50%. No segundo decêndio de março, a taxa foi de 0,37%.

LEIA MAIS:

Aluguel na praia custa a partir de R$ 80

Cai número de ações por inadimplência no aluguel

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.