19/12/2008

Início de ano é tempo de eleição em condomínio

Fonte: Jornal da Tarde

Segundo as administradoras de imóveis, cerca de 40% deles escolherão síndico

No início do ano, os moradores de condomínios devem participar das eleições do síndico do imóvel. Com média de mandato de dois anos, cerca de 40% dos empreendimentos paulistanos terão que decidir quem será seu representante legal no primeiro trimestre.

Segundo as administradoras de imóveis, grande parte dos síndicos são reeleitos por dois motivos: porque fizeram um boa gestão e têm a confiança dos moradores ou porque falta candidatos para concorrer ao cargo de representante do imóvel. ?Falta candidato em alguns casos. Ninguém quer assumir essa responsabilidade?, diz Márcia Romão, gerente da Lello Condomínios.

O síndico é o representante civil e criminal do condomínio. Qualquer problema, ele será acionado judicialmente para responder pela comunidade. ?É como uma empresa, pois tem funcionários para administrar e consumidores (os condôminos) muito exigentes?, comenta o síndico Fabiano Bonello Domingos, que foi eleito para o cargo no Condomínio Astúrias pela primeira vez, na semana passada.

A experiência de Domingos são quatro meses à frente dos compromissos do imóvel onde vive, assumidos após a renúncia do último síndico. ?Quando assumi, percebi que muita coisa não estava sendo feita?, conta.

Entre os principais problemas, o síndico recém-eleito aponta a garagem como um dos principais assuntos que trazem dor-de-cabeça. ?Não é fácil, tem de ter jogo de cintura. Barulho é outra questão que gera polêmica por aqui?, diz. ?Mas para tentar solucionar e ter uma participação maior do morador, criei um livro de sugestões e reclamações e um e-mail, em que todos os dias recebo algum comentário e respondo, procurando amenizar os conflitos?, completa.

CANDIDATO – Domingos foi candidato único na eleição em seu condomínio. O síndico Wilson Roberto Gonçales, que está há 13 anos no cargo, também foi reeleito em chapa única e pensa que, se houvesse outro candidato, abriria mão de novas eleições. ?As pessoas sempre pedem para continuar?, diz.

Segundo a convenção coletiva dos condomínios, em geral, qualquer um pode ser candidato estando em dia com as cotas mensais. Em alguns prédios, para evitar o empurra-empurra, a opção adotada foi o síndico profissional, um administrador para o cargo. ?O problema é que ele não mora lá e não está no convívio diário para saber realmente o que o imóvel precisa?, avalia José Roberto Graiche, presidente da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.