14/04/2016

IPTU não influencia na hora de comprar, mas deve fazer parte do orçamento

Imposto é reajustado anualmente, mas é fator secundário na hora de fechar negócio

Fonte: ZAP em Casa

O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) é uma taxa que precisa ser paga por todos os proprietários de imóveis. O valor é calculado de acordo com o preço de mercado da unidade e leva em consideração a localização e também o tamanho do imóvel. Porém, não é um valor fixo, já que todo ano sofre reajuste para repor a inflação do período. Mas será que o preço e os aumentos no IPTU são fatores determinantes na hora de comprar um imóvel e chega a afetar o mercado imobiliário?

+ Segundo índice, preço médio do m² se manteve estável no terceiro mês do ano

+ Haddad sanciona nova lei de zoneamento

A verdade é que, na hora de fechar negócio, o IPTU acaba não sendo fator determinante e, por isso, dificilmente é algo que implique de forma negativa no mercado imobiliário. “Seria muito difícil uma pessoa deixar de comprar um imóvel porque o IPTU aumentou. Até porque é um imposto que abrange a todos os imóveis”, afirma a advogada Daniele Akamine, diretora da Akamines Negócios Imobiliários.

Porém, o valor do IPTU pode ser determinante na hora de escolher a localização e o tamanho do imóvel a ser comprado, já que esses são os fatores que baseiam o cálculo do imposto. “O comprador não vai deixar de adquirir um imóvel por conta do IPTU, mas pode levar o custo em consideração para determinar o tipo de compra. Se ele sai de um bairro para outro mais sofisticado, sabe que vai pagar mais caro no IPTU”, explica o economista Marcelo Barros.

IPTU
Na hora de comprar um imóvel, o IPTU não é um fator decisivo (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Outra questão a ser analisada é se o imóvel é mais antigo ou mais novo. “Mesmo que a pessoa pretenda se mudar para o mesmo bairro, muitas vezes o preço do IPTU pode ficar mais caro se você tem atualmente um imóvel mais antigo e pretende comprar um mais novo. É preciso prestar atenção também a este detalhe”, completa Marcelo.

Para José Roberto de Araújo Neves, contador e professor de contábeis da faculdade Esuda, o valor do IPTU vai ter influência maior em alguns grupos. “Pessoas de baixa renda ou da classe média vão estar mais atentas ao IPTU e ao valor do condomínio na hora de comprar um imóvel. Quem também pretende adquirir a unidade por questão de investimento e não para moradia, também vai prestar atenção nestes valores”, ressalta.

O economista Marcelo Barros reforça a importância de incluir o IPTU no orçamento para quem deseja comprar um imóvel, já que é uma cobrança que entra nos gastos todos os anos. O imposto pode ser pago em cota única, quando normalmente se tem um desconto, ou parcelado. “O IPTU é, por lei, reajustado todo ano baseado no IPCA para repor a inflação e os valores são determinados por cada prefeitura. O que as pessoas precisam ter consciência é que este é um gasto fixo e deve fazer parte do orçamento. Mesmo com os reajustes anuais, é preciso incluir o preço do IPTU entre os gastos para depois não ter problemas para pagar”, conclui.

 

+ Cobrar o condomínio atrasado ficou mais rápido

+ Os pontos mais cobiçados de Belo Horizonte

+ Preço médio de locação manteve estabilidade entre janeiro e fevereiro

+ Faça as contas para saber se o imóvel cabe no bolso

+ Confira uma linha do tempo sobre à venda de imóveis no Brasil

+ Preço médio do metro quadrado apresentou menor variação desde 2008

+ Saiba quanto gastar com documentos para comprar um imóvel

+ Saiba qual tipo de imóvel e onde vale a pena investir

 

 

+ Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Informe seu nome e e-mail no espaço para comentários desta matéria. Os dados não serão publicados nessa página

1 Comentário

  1. Olá, Yvis! Tudo bom? Sugerimos que você procure um especialista que consiga avaliar sua situação com a atenção devida. Se precisar de alguma informação sobre venda ou locação de imóvel, estamos aqui! =)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.