30/10/2006

Juros baixam de 12% para 9% a.a.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Bancos privados estão autorizados a reduzir a taxa anual para imóveis novos ou usados que valham até R$ 150 mil

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisUsados – Procura por usados é grande, medida também incentiva a construção civil e o consumo de novos

Os bancos privados já podem oferecer juros mais baixos para o financiamento de imóveis novos ou usados com valor máximo de R$ 150 mil. Isso é possível porque o Conselho Monetário Nacional (CMN) criou condições para que as instituições ofereçam taxas de juros abaixo de 12% ao ano.

O objetivo do governo federal é que sejam oferecidos juros entre 9% e 10% anuais nos financiamentos pelo Sistema Financeiro Habitacional (SFH) – no qual os bancos utilizam os depósitos da caderneta de poupança. Isto para que se tornem mais acessíveis aos consumidores que têm interesse em comprar imóveis com preço entre R$ 60 mil e R$ 150 mil.

“Isto foi feito para que mais pessoas tenham a possibilidade de ter acesso ao crédito imobiliário”, afirma o superintendente da Associação Brasileira de Crédito Imobiliário (Abecip), José Pereira Gonçalves.

Ele explica que os bancos privados estão se adaptando às novas regras e recomenda que o interessado em adquirir um imóvel usado procure o serviço de crédito imobiliário da instituição bancária na qual tem conta. Também se deve pesquisar nos sites de outros bancos para saber as condições de cada um. O HSBC já oferece juros mais baixos para imóveis novos ou usados de no máximo R$ 150 mil. “Lançamos no começo de abril a mudança para os imóveis novos desta faixa de valor, e em maio para os usados”, afirma o diretor de crédito imobiliário do HSBC, Roberto Sampaio.

Outro banco que já oferece a facilidade para o financiamento de casas e apartamentos novos é a Nossa Caixa. Segundo a assessoria de imprensa do banco, em breve será aberta a linha para imóveis usados, de também até R$ 150 mil, com juros reduzidos. Neste momento a instituição estuda a mudança e prepara o novo pacote para este público.

Os bancos são obrigados por norma do CMN a destinar 65% dos depósitos da caderneta de poupança para o financiamento habitacional.

Como as instituições bancárias privadas tiveram desempenho 30% superior nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, se comparados ao ano passado, os especialistas do Banco Central ampliaram o porcentual para 45%, estimado para abril, maio e junho.

Demanda
“As mudanças baseadas na decisão do Banco Central, de janeiro, atende à demanda (por imóveis usados) e também movimenta o mercado da construção civil”, diz Sampaio, do HSBC.

Com 12 mil financiamentos de pessoa física, o banco tem produtos voltados para o público com renda a partir de R$ 1,5 mil mensais.
Para imóveis de R$ 60 mil a R$ 100 mil, o HSBC oferece taxas de juros efetiva de 10 % ao ano. Para casas e apartamentos com valor de R$ 100.000,01 a R$ 150 mil, os juros são de 11% ao ano. O banco avisa que para “usufruir desta vantagem oferecida até o final do contrato, basta manter o pagamento das prestações sempre em dia.” Sampaio explica que o HSBC tem centrais de crédito imobiliário nas capitais:
São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR) e Goiânia (GO).

Serviço – Informações nas agências ou nos sites www.hsbc.com.br; www.nossacaixa.com.br 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.