22/04/2007

Juros tendem a ficar mais baixos

Fonte: O Estado de S. Paulo

Alto volume de crédito pressiona instituições financeiras a reverem taxas cobradas a mutuários da casa própria

Jonne Roriz/AEZap o especialista em imóveisExpectativa – Bradesco acredita que vai dobrar empréstimos com juros prefixados este ano

 

 

 

 

 

 

 

 

A semana foi repleta de novidades para o crédito imobiliário. Enquanto a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) anunciava recorde histórico em aplicação de recursos em março, na casa de R$ 1,322 bilhões, o Bradesco reduzia os juros do empréstimo prefixado de 14% para 12,5% ao ano, igualando ao da Taxa Selic (taxa básica de juros do País).

As duas notícias juntas devem pressionar as instituições financeiras a baixar os juros do financiamento habitacional. O HSBC, por exemplo, já anunciou que deve reavaliar a taxa do crédito prefixado, de 12,68% ao ano (1% ao mês) no plano Credimóvel.

Outro fator que pressiona a queda da taxa prefixada, mas de forma leve, é a recente reformulação do cálculo da Taxa Referencial (TR), indexador que reajusta os juros pós-fixados. Agora, a TR acompanha a queda da Selic.

Segundo a Abecip, ainda não é possível medir a representatividade das modalidades de crédito prefixado no volume total de aplicação, já que esta é uma opção recente, inaugurada no mercado no fim do ano passado. “É um período pequeno ainda para fazer um comparativo”, afirma Décio Tenerello, presidente da entidade. Mas a perspectiva é que o juro caia e a popularidade do crédito com parcelas fixas cresça entre os mutuários. “Estamos na fase de deixar a indexação da economia, na medida em que a taxa de juros (do país) cai. A indexação é um ranço da inflação”, diz Tenerello.

O Bradesco já percebe o aumento da procura pela modalidade de crédito. “O mercado recebeu bem a notícia. Esperamos no mínimo dobrar o volume de contratos prefixados”, afirma o diretor de Empréstimos e financiamentos do banco, Josué Augusto Pancini.

O Santander Banespa que chegou a cobrar 16,95% de juros anuais no plano Super Casa 20 e hoje fixa a taxa em 14%, informa que a modalidade de crédito prefixada já representa cerca de 45% do volume total de seus financiamentos imobiliários.

Leia também

Taxa prefixada envolve risco menor

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.