15/05/2009

Liberdade para escolher

Fonte: Jornal da Tarde

Plantas flexíveis atendem solteiros e jovens casais, nicho esquecido pelo mercado

Uma cozinha pequena equipada apenas com micro-ondas ou um espaço para uma grande estante de livros. Nos lançamentos, os imóveis especiais permitem montar a própria planta. A maioria das modificações é incluída no valor do imóvel.

Fotos: DivulgaçãoDecoração de apartamentoda Max Casa projetado pelo arquiteto Felipe Protti: unidades de 70m², a partir de R$ 230mil

A partir dessa característica, eles conseguem atender um público carente de opções de imóveis na cidade: o de solteiros e divorciados, além de jovens casais, que precisam apenas de uma unidade com um dormitório. No primeiro trimestre deste ano, por exemplo, não houve nenhum lançamento desse tipo na capital, aponta levantamento da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp).

Fabio Filho, diretor da Itaplan Imóveis, que comercializa empreendimentos da Idea!Zarvos, estima que metade dos compradores sejam solteiros. José Cazarin, da Axpe, diz que 90% são solteiros, divorciados e jovens casais e10%, famílias.

Nas unidades da Idea!Zarvos, por exemplo, é possível configurar até mesmo o tamanho e localização das janelas. O imóvel é entregue quase sem paredes e com poucas vigas e pilares. O pé-direito de 5,5 metros permite flexibilidade, bem como os diversos pontos de esgoto e prumadas no prédio. “Muitas vezes o comprador quer a 11º opção. Para que restringi-las?”, diz Otávio Zarvos, diretor da empresa.

A MaxCasa, responsável pelos empreendimentos da Max Haus, também tem plantas flexíveis, com uma vantagem: unidades mais baratas, em média de R$ 230 mil, pois são localizadas em terrenos maiores, que podem comportar duas torres com 200 unidades cada. O perfil dos bairros, porém, muda: são mais afastados do centro, como Vila Leopoldina, Mooca, Panamby e Santo Amaro.

Edifício Simpatia: projeto do escritório Gruposp

“A sociedade mudou. Tem gente que casa e não quer ter filhos e aqueles que nunca querem casar. O imóvel tem de acompanhar essa evolução”, explica Luana Rizzi, gerente de marketing da MaxCasa.

As unidades da incorporadora têm metragem padrão de 70 m², mas podem ser combinadas com outros apartamentos, tanto vertical como horizontalmente, e somar 280 m². A tubulação seca permite flexibilizar a fiação elétrica e parte hidráulica. Diferenciais, como mais 1 dormitório ou 1 banheiro, além de portas e banheiros especiais, podem aumentar em até 3% o preço do imóvel. A incorporadora tem três empreendimentos em obras na cidade.

PAISAGEM – A arquitetura dos imóveis especiais, além de contemporânea e ter apelo estético, também procura valorizar o entorno e interferir o menos possível na paisagem da cidade, explica o arquiteto Jonathan Davies, do escritório de arquitetura GrupoSP, que projeta dois empreendimentos para a Idea!Zarvos. A tendência, diz, é mais veemente em metrópoles como São Paulo e Nova York.

Grades ao invés de muros, recuos maiores e praças públicas são algumas das soluções adotadas. “O pedestre que passa na calçada consegue enxergar sob o edifício. Vemos muito na cidade muros de 6 metros que restringem a visão. A ideia é contribuir de forma positiva para a cidade.”

A estrutura de um dos projetos, o Edifício Simpatia, está dividida em dois blocos nitidamente distintos: o núcleo servidor – um bloco central em concreto, onde estão os elevadores, a escada de segurança e os banheiros e consequentemente todas as prumadas de instalações; e a estrutura envoltória em aço, composta por pilares e vigas metálicas que suportam as lajes pré-fabricadas de concreto destinadas a servir de piso e cobertura para os ambientes.

O conceito se estende aos materiais. A preferência é pelos duráveis, que não necessitam de manutenção constante. É o caso do concreto aparente, revestimentos cerâmicos, madeira e alumínio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.