05/01/2003

Limão: bairro paulistano teve ocupação tardia

Fonte: Editoria Zap

O desenvolvimento dessa área da zona norte foi tardio, tanto que até o início do século XX o bairro era ocupado por sítios, chácaras e poucas casas dispersas. Suas terras passaram a ser ocupadas com mais intensidade durante a expansão da vizinha Freguesia do Ó.

Zap o especialista em imóveis

O desenvolvimento dessa área da zona norte foi tardio, fato comum a quase todas as regiões da cidade que não eram caminho para nenhum outro bairro impotante ou cidade vizinha. Até o início do século XX, a região foi uma grande área ocupada por sítios, chácaras e poucas casas dispersas. As terras do atual bairro passaram a ser ocupadas com mais intensidade durante a expansão da vizinha Freguesia do Ó.

Existem duas versões para a origem do nome do bairro. Segundo uma delas, quando os primeiros ocupantes chegaram à região, então uma grande chácara, encontraram um pé de limão-bravo, também conhecido como fruta-de-cachorro, na divisa entre o atual Limão e a Freguesia do Ó. A outra explicação cita um morador de origem italiana que vendia limões no bairro vizinho.

O primeiro loteamento de terras na região foi realizado em 1921 pela imobiliária de Mateus Bei. O empreendedor também executou projetos de outros bairros, como o de São Mateus. O crescimento populacional do Limão só passou a ser significativo após a divisão das terras, que atraiu moradores de bairros vizinhos.

A primeira igreja do bairro foi erguida em 1939, quando já havia uma linha de ônibus passando por lá havia quatro anos. O ponto de partida do ônibus era a Barra Funda. A região tornou-se o 44° Subdistrito em 1964.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.