08/10/2009

Limite maior de financiamento no “Minha casa, minha vida”

Governo amplia valor máximo de imóveis para estimular vendas em municípios com até 500 mil habitantes

Alterações do programa “Minha casa, minha vida” viabilizará limite maior de financiamiento para determinados municípios. A medida foi anunciada ontem, numa reunião extraordinária do Conselho Curador do FGTS. Para todas as capitais e cidades com mais de um milhão de habitantes, o teto sobe de R$ 100 mil para R$ 130 mil.

Também houve alteração para municípios entre 250 mil e 500 mil habitantes. Nesses casos, o limite vai de R$ 80 mil para R$ 100 mil. Até agora, o teto de imóveis de R$ 130 mil abrangia apenas as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Brasília.

Limite maior de financiamento

As mudanças valerão a partir do momento em que forem publicadas no Diário Oficial da União, o que poderá ocorrer hoje ou na segunda-feira. A exceção é o aumento para todas as capitais, que somente entrará em vigor em janeiro de 2010.

Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, vários argumentos foram analisados pelo Conselho.

“Um dos motivos é que nas grandes cidades os imóveis são mais caros”, explicou.

MENOS EMPRÉSTIMOS – O Ministério do Trabalho garante que as alterações não vão aumentar o desem¬bolso de R$ 17,1 bilhões do FGTS para o programa. Todas serão feitas com base no mesmo montante de recursos destinados pelo Orçamento deste ano. Com isso, haverá menos empréstimos.

As medidas foram recebidas com críticas. O consultor da Comissão de Orçamento do Congresso Nacional, Leonardo Rolim, disse que a classe média está sendo beneficiada em detrimento dos pobres.

“É pleito das empreiteiras. A construção civil prefere construir para a classe média, porque seus rendimentos são maiores. Vai na contramão do objetivo de reduzir o déficit habitacional de sete milhões de residências, em sua grande maioria, entre os trabalhadores que ganham até três salários mínimos (R$ 1.395).”

+ Quer comprar um imóvel? 

4 Comentários

  1. Fico feliz pelo aumento do limite de 80 para 100 mil, uma vez que na minha cidade (quase 400 mil habitantes) com este valor de 80 mil poderia comprar apenas um apartamento, em um condomínio fechado, com 2 quartos. Estou concluindo a minha graduação em enfermagem na metade do próximo ano e a renda de meu esposo chega próximo a 3 salários mínimos e necessitamos 3 quartos pois temos um casal de filhos. Espero, que com este aumento do limite não surjam outras implicações que impeçam a realização do nosso sonho te termos a casa própria.

  2. A dificuldade de achar imovél que se encacha nos preços do programa “minha casa minha vida” nas capitais é real e todos sabemos disso.Agora achar um imovél pelo valor de 100,000 R$ e a caixa avaliar em 130,000 R$ e por isso desenquadrar do programa eu não entedi,gostaria de saber a explicação desse caso e quais os critérios de avaliação dos avaliadores da Caixa.

  3. SOU PROFESSORA EFETIVA MUNICIPAL E TRABALHO NO ESTADO MINHA RENDA MENSAL É DE 1.300,000, TENHO TAMBÉM A APOSENTADORIA DO MEU ESPOSO QUE POR CAUSA DA ALZEIHMER PASSEI A RECEBE-LA COM UMA PROCURAÇÃO DO INSS JUNTAMENTE COM O CARTÓRIO DA MINHA CIDADE;PAGO UM ALUGUEL DE 500,00; QUERO SABER O PORQUE DE TANTAS BUROCRACIAS PARA POSSUIR A MINHA CASA,PODERIA PAGAR ATÉ UNS 600,00 REAIS DE PRESTAÇÃO;POR QUÊ COM TODA ESTA COMPROVAÇÃO NÃO ME AJUDAM A POSSUIR LOGO A MINHA CASA, ANOS E ANOS MEU DINHEIRO VAI COMO O VENTO;O ALUGUEL É MUITO TRISTE! UMA DECADÊNCIA.. POR FAVOR ME AJUDEM,ME INFORME, A CAIXA SEMPRE FAZ O CONTRÁRIO, NOS TIRAM DOS SONHOS DOS NOSSOS OBJETIVOS DEIXAM-ME FRUSTRADA.

  4. Até onde entendi, a matéria não deixa claro, se as outras capitais (ex; Curitiba)terão seus valores aumentadados de 100 para 130mil também nas regiões metropolitanas dessas cidades??????

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.