25/08/2008

Linhas retas e cores neutras são tendência

Fonte: Jornal da Tarde

Móveis limpos, sem puxadores e com cores neutras são maioria na marcenaria brasileira

A marcenaria no Brasil segue a tendência mundial de cores neutras e linhas retas. “Apesar de termos hoje no mercado várias opções de cores, de lacas muito bonitas, feitas com pintura automotiva e revestimentos, a tendência forte ainda é de tons neutros na marcenaria”, diz Ana Tavares, da KTA.

Outra tendência é a ausência de puxadores. “Os puxadores saíram um pouco de cena e deram lugar aos detalhes feitos na própria marcenaria. As portas são desenhadas com nichos que servem de puxador. Na feira de Milão, essa tendência ficou muito forte, com puxadores e todos os tipos de ferragens embutidas”, diz Carla Dichy.

Para não deixar os móveis claros e homogêneos demais, os arquitetos, em geral, optam por usar cores e papéis de parede dentro dos nichos de estantes. “Foi o que fiz na estante de uma sala aqui em São Paulo, com papel de parede claro aplicado no fundo das prateleiras, para dar um pouco de cor e textura”, explica Carla (veja projeto nesta página).

A maioria dos móveis feitos hoje em marcenaria são em MDF, revestidos com laca ou lâminas de madeira. Outra opção são as lâminas de novos revestimentos, como as placas melamínicas (como uma fórmica, mas com textura e acabamento diferenciados). “Hoje, temos no mercado várias opções de revestimentos com ou sem desenho de madeira que são muito bonitos. Usamos bastante, principalmente, em locais que demandam maior manutenção”, explica Ana Tavares. A mistura de lâminas de madeira com cores claras, como branco, também continua forte na marcenaria.

Como funciona

Os projetos de marcenaria são, na maioria dos casos, partes do projeto de arquitetura. Assim, o cliente que está reformando ou construindo que contrata o projeto de um arquiteto não paga nada a mais pelo desenho dos móveis. “O cliente paga apenas o preço do móvel, da execução dele. O desenho do móvel faz parte do projeto”, diz Ferreira Jr., da AMC.

Assim que os desenhos dos móveis são aprovados pelos clientes, os arquitetos enviam para seus marceneiros ou marcenarias de confiança para orçamentos. “Eu faço sempre orçamento com três marcenarias diferentes, para o cliente poder escolher”, diz Ana Tavares. Em geral, móveis feitos por marceneiros são mais baratos do que móveis comprados prontos. Mas tudo depende dos acabamentos escolhidos. “Se a ferragem for importada, por exemplo, pode ficar mais caro”, diz Carla.

Sob medida

O ideal é que todo móvel, por mais simples, seja desenhado por arquiteto ou designer. Em geral, a marcenaria faz parte de projeto de reforma.

Os arquitetos e designers encaminham os desenhos aos marceneiros ou marcenarias com quem estão acostumados a trabalhar. Isso reduz o risco do cliente de ter um móvel mal acabado, ou problemas de entrega.

O preço final de móveis feito sob medida tende a ser menor do que o de móveis prontos.

Os acabamentos escolhidos fazem a diferença no preço final. Ferragens internas costumam encarecer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.