16/01/2009

Locação cai em novembro

Fonte: Jornal da Tarde

Pesquisa do Creci-SP mostra queda de 23% nas unidades alugadas entre outubro e novembro

As locações tiveram uma queda expressiva de 23,06% em novembro na comparação com os contratos de aluguel fechados em outubro, segundo levantamento do Conselho Regional de Corretores de Imóveis, o Creci-SP. Foram 761 unidades negociadas por 504 imobiliárias consultadas pela entidade no período.

As casas foram as que mais tiveram a locação efetuada no mês, com participação de 54,8% em novembro. Os preços das locações mais procuradas ficaram entre R$ 401 e R$ 600, com 27,93% dos negócios realizados.

Do total de imóveis alugados, grande parte ocorreu por causa da desocupação ocorrida no período. Foram 561 devoluções, o equivalente a 73,72% do total de unidades locadas, índice 20,16% maior do que o registrado no mês anterior.

A modalidade de seguro mais utilizada nos contratos fechados no mês foi o fiador, com participação em 40,16% negócios. O seguro fiança passou os depósitos e aparece na segunda colocação aparecendo em 33,12% dos contratos.

VALORIZAÇÃO – Os apartamentos de um dormitório continuam sendo os que mais valorizam na capital por conta da escassez de unidades com essa configuração.

O reajuste foi de 17,44% no valor do aluguel cobrado em bairros como Aclimação, Vila Madalena e Jardim São Paulo – de R$ 702 em outubro para R$ 825 em novembro. Em bairros como Aricanduva, Bom Retiro e Pirituba, os imóveis com essa configuração tiveram elevação de aluguel de 18,24% – de R$ 535 para R$ 632,58.

Já entre as quedas, a mais expressiva foi a do valor das casas com um dormitório em locais como Lapa, Saúde, Vila Mazzei e Mandaqui. A queda no preço mensal da locação foi de 16,06% na comparação com o mês anterior, passando de R$ 469,22 para R$ 393,85.

INADIMPLÊNCIA – Segundo o Creci-SP, os inquilinos inadimplentes representam 7,21% dos contratos nas imobiliárias pesquisadas, um aumento de 34,51% em relação aos 5,36% verificado no mês anterior.

Em outubro, a inadimplência já havia subido 25,23% em comparação com setembro, o que mostra uma tendência de crescimento de devedores de aluguel.

No entanto, a ação de despejo ainda não acompanhou a inadimplência. Uma pesquisa realizada pela Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios mostra que, em dezembro, as ações de despejo caíram 21% em relação ao ano anterior.

As ações de despejo por falta de pagamento das mensalidades de aluguel, conforme dados do Tribunal de Justiça de São Paulo, somaram 1.080 processos. No acumulado do ano, foram 18.079 ações, demonstrando uma queda de 10% no volume de ações, contra 20.028 em 2007, no mesmo período.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.