02/03/2007

Lugar para morar entre a Capital e o interior

Fonte: Jornal da Tarde

Empreendimentos na região valorizam o fato de estarem próximos ao trabalho e ao lazer

Helvio Romero/AEZap o especialista em imóveisFachada do Edifício Jardins D”Espanha, em fase final de construção, próximo à Rodovia Raposo Tavares

Assim como fez o bandeirante que dá nome à rodovia, a Raposo Tavares inspira o alargamento das fronteiras do mercado imobiliário em São Paulo. Antes vista como centro onde moravam apenas admiradores da natureza, a região começou a despertar o interesse de incorporadoras e construtoras interessadas em oferecer apartamentos para a classe média paulistana.

Com terrenos disponíveis a preços mais acessíveis e a melhoria da infra-estrutura de transportes e serviços, as margens da Raposo Tavares, que liga a cidade de São Paulo à região oeste do Estado, oferecem diversas opções de apartamentos. “Quem morava perto de Barueri ou na região de Osasco se muda para ficar mais perto do trabalho ou da faculdade. A região tem a facilidade de estar muito próxima às marginais”, argumenta Cristiane Atui, engenheira da construtora Orbe, que possui a maioria dos empreendimentos na região.

Foi em 1954 que a rodovia SP-270 ganhou o nome do bandeirante Antonio Raposo Tavares, português que veio ao Brasil e comandou uma expedição de três anos em território espanhol no século 17 e arrastou as fronteiras do País até os limites hoje conhecidos de Mato Grosso e Amazonas.

Próxima aos bairros do Morumbi e Vila Sônia, a estrada se transformou numa via principal para quem trabalha nas regiões que concentram atualmente os prédios de escritórios da capital. “É um eixo que se liga a diversas avenidas, praticamente não se pega semáforo, bastante procurado por quem trabalha na região da USP e em outros bairros da Zona Oeste”, continua Cristiane.

Ao perceber o aumento da demanda em um bairro cujas facilidades aumentam a cada ano, a Obre decidiu alargar seus investimentos. Em maio de 2007, o edifício Jardins D’Espanha, de 88 apartamentos, será entregue. Logo em seguida, será lançado o Jardins D’Itália, com características bastante similares.

Em um passeio pela rodovia ainda é possível notar a maciça presença de casas espalhadas em terrenos grandes, fora das cercas dos condomínios que dominam a paisagem em outras cercanias da Capital. “O público que procura um imóvel ali ainda é aquele que já conhece a região, que deixa as casas para ter um conforto de morar com segurança e área de lazer”, aponta Marcella Carvalhal, gerente de marketing da incorporadora Klabin Segall.

Gerente de incorporação da Vivenda Nobre, outra empresa a enxergar o potencial da área, Adriana Falleiros afirma que existem opções para quem tem dificuldades em encontrar imóveis na Zona Oeste. “É uma alternativa para uma região que está saturada.”


Leia também

Condomínios de casas e prédios em harmonia

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.