13/02/2009

Lula quer mais incentivos para habitação popular

Fonte: Globo online

Presidente teria ficado insatisfeito com as propostas apresentadas até agora, que contemplam apenas a faixa de dois a dez salários mínimos

Os adiamentos do anúncio do pacote de habitação pelo governo têm sido motivados pela falta de medidas destinadas às famílias com renda até dois salários mínimos, responsáveis por 60% do déficit habitacional, ou seja, 4,7 milhões de moradias que faltam no país. Segundo reportagem publicada nesta sexta-feira no jornal O GLOBO, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria ficado insatisfeito com as propostas apresentadas até agora, que contemplam apenas a faixa de dois a dez salários mínimos.

Entre as propostas que estão sendo avaliadas para atender a população de baixa renda, destaca-se a necessidade de o governo federal dobrar os subsídios de R$ 2,5 bilhões atuais nos próximos dois anos. Isso se o número de famílias no corte mais baixo de renda a serem atendidas corresponder à metade das 500 mil novas moradias que o governo pretende ajudar a construir este ano e das outras 500 mil em 2010. Os recursos viriam do Orçamento da União, tendo em vista o altíssimo risco que o grupo representa para o sistema financeiro. Lula também determinou que seja feito um levantamento de imóveis da União que estão desocupados.

De acordo com uma fonte que está trabalhando no pacote, o argumento de que não há como reduzir o déficit habitacional sem atender a famílias com renda até dois salários mínimos – cobrindo parte ou totalmente o valor do imóvel com subsídios – vem sendo defendida pelo Ministério das Cidades e tem a simpatia do Palácio do Planalto, mas não da área econômica. Segundo técnicos da Fazenda, o pacote é voltado para geração de empregos, estímulo ao setor da construção civil e aumento do crédito. Para quem ganha até R$ 2 mil, seria preciso um programa social, cujo foco é diferente. A equipe econômica está fazendo os ajustes finais no pacote para anunciá-lo em breve.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.