18/05/2009

Madeira: cuidado onde pisa

Fonte: Jornal da Tarde

Pisos de madeira garantem durabilidade e beleza, mas exigem cuidados especiais

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisAplicação de adesivo em piso de madeira: cuidados com umidade têm de ser tomados desde a compra até a conservação do material

Pisos de madeira maciça são curingas e chamam atenção em ambientes íntimos. Material nobre, seu forte é a durabilidade, mas essa característica é constantemente ameaçada por problemas como umidade e contrapiso irregular.

Não há normas para que os produtos tenham a umidade adequada que, em São Paulo, estima-se estar entre 10% e 14%. Porém, há testes realizados por empresas de controle de qualidade desse tipo de produto, além do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Mas o consumidor pode exigir ao vendedor do piso um documento que garanta que o produto esteja dentro dos padrões, aconselha Ariel de Andrade, gerente executivo da Associação Nacional dos Produtores de Pisos de Madeira (ANPM).

Os cuidados com a umidade não terminam na hora da compra e se estendem à conservação dos materiais. Para não ter dor de cabeça caso não saiba se a umidade das peças está adequada, é aconselhável tirar o produto da embalagem apenas no momento da instalação e após um período de climatização de, no mínimo, 30 dias. “Nesse período, ele pode movimentar, inchar e sua espessura varia até se acomodar”, explica Andrade.

OUTROS CUIDADOS – A instalação do piso também deve ser a última etapa da obra, quando não corre o risco de ser danificado por produtos como óleos, resinas e colas ou riscado pela movimentação de aparelhos na obra. Até mesmo com a pintura deve-se ter cuidado. “Caso o piso já seja vendido com verniz, é preferível que a pintura seja realizada antes. Senão, é melhor pintar depois, pois a colocação do verniz solta um pó prejudicial à tinta.”

O problema é mais grave quando se verifica que o contrapiso não é impermeabilizado e fica úmido durante a construção de uma residência . “É um ponto de forma geral esquecido na obra. Os engenheiros se preocupam em acelerá-la e não esperam o tempo de secagem do contrapiso, que também deve ser, no mínimo, de 30 dias.”

Como consequência, o piso de madeira sobre contrapiso inadequado absorve a umidade, incha e pode empenar ou rachar.

Além da umidade do próprio produto, é necessário tomar cuidado com a existente em construções térreas, principalmente em locais como litoral e serras, onde há maior quantidade de água no solo. Nesses ambientes, a impermeabilização do contrapiso é imprescindível, mesmo que esteja seco e adequado.

Além disso, o contrapiso deve ser devidamente nivelado e ter a quantidade de areia e cimento adequada, que lhe confere resistência. Isso pode ser percebido por testes com escova de aço e martelo. “Caso apareçam buracos, o piso está fraco e tem de ser preenchido. Não pode esfarelar”, diz Andrade.

DICAS – Estima-se que a umidade adequada para pisos de madeira em São Paulo se situe entre 10% e 14%. Você pode se certificar por meio de testes com aparelhos digitais oferecidos por empresas e institutos;

Na compra, exija um documento que garanta que o produto é adequado a esse padrão de umidade;

Tire o produto da embalagem apenas na hora da instalação e após um período de climatização de, no mínimo, 30 dias;

A instalação do piso deve ser a última etapa da obra. Em pisos sem verniz, deixe a pintura para depois, pois o pó do verniz é
prejudicial à tinta;

Impermeabilize o contrapiso, mesmo que esteja seco e
adequado, em construções térreas, principalmente no
litoral e serras;

O contrapiso deve estar nivelado e ter a quantidade de areia e cimento adequada. Faça testes com escova de aço e martelo. Se o piso se esfarelar, é sinal de que necessita de preenchimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.