06/11/2006

Madeira e PVC são as mais caras

Fonte: O Estado de S. Paulo

Vidro e aço são alternativas, além do alumínio, de custo menor

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisOpções – Porta de madeira, com vidro

O arquiteto George Hochheimer, do escritório Hochheimer Imperatori Arquitetura, não vê a porta simplesmente como um recurso de passagem física.

Diz ele que as pessoas, ao adentrarem a residência, vão sentir-se de um jeito ou de outro conforme o modelo de porta que ultrapassarem. “É certo, por exemplo, que numa casa japonesa, há portas baixas, que obrigam a pessoa a curvar-se, como num ato de humildade e reverência. E sabemos que pórticos pomposos em castelos eram mesmo para impressionar o visitante, até oprimi-lo, e fazê-lo entrar com ar de respeito”.

Traduzindo na prática, a idéia de Hochheimer é que a porta, seja na entrada, seja num ambiente, vai sinalizar o espírito das pessoas que vivem na moradia, o que se refletirá no visitante. E aí, para a escolha, o mercado tem uma gama enorme de modelos, tanto nos materiais (madeira, vidro, aço, alumínio e PVC), quando no sistema de funcionamento (de abrir e fechar, basculante, de correr, tipo veneziana, pivotante, etc…) Qualquer um desses tipos pode cumprir a função que se quer, mas, claro, com vantagens e desvantagens específicas.

Hochheimer explica que basicamente é preciso levar em consideração a largura da porte ( que passe conforto ou, ao contrário, estrangulamento na passagem) e altura, “se possível que seja na escala humana, que dá sensação de naturalidade”. O arquiteto ressalta que hoje a segurança é um elemento fortíssimo a pesar na escolha, mas é lembrar saber que portas mais pesadas vão requerer acessórios similares e, portanto, bem mais caros.

Madeira 

Considerando um dos materiais mais antigos, a madeira, a recomendação de Hochheimer, adepto aberto da sustentabilidade na arquitetura, é evitar madeiras nobres, “que são difíceis de achar e que são fruto de desmatamento indiscriminado”. Ele sugere que se utilizem os laminados, vindos de floresta com manejo sustentável. Ou então, madeira de demolição, opção bem in teressante, segundo ele. Na manutenção, aplicação de selante de dois em dois anos em portas externas, e de cinco a dez anos em internas.

PVC

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisOpções – Porta de PVC, feita com material importado da Alemanha pela Semele

Portas de PVC são utilizadas em qualquer ambiente. Hochheimer salienta que modelos importados são “espetaculares”, sem dúvida, mas podem tornar-se muito caros e são superdimensionados para o uso no Brasil, principalmente em grandes portas de entrada. A sugestão é optar por essas portas para os ambientes. Têm resistência e podem ser pintadas em qualquer cor. A manutenção é simples e envolve apenas água e sabão.

Alumínio e aço

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisOpções – Três modelos de portas de alumínio e aço da Sasazaki

 

A manutenção também é simples nas portas de alumínio, mas não nas de aço, que sofrem desgaste de tinta e precisa de várias repinturas. No produto de alumínio há ainda a vantagem de grande resistência e preços menores.

No caso das portas de aço, são mais baratas que as de vidro e madeira.

Arquiteto: www.hiarq.com.br

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.