09/10/2009

Mais 1.500 imóveis na Baixada

Fonte: Jornal Extra

Moradias fazem parte de programa habitacional para famílias com renda de até R$1.395

Está previsto para o fim do ano o lançamento de 1.500 unidades do “Minha casa, minha vida” em Queimados, na Baixada Fluminense, para famílias com renda de até três salários mínimos mensais (R$1.395). As moradias fazem parte do projeto de construção de 50 mil imóveis no país da Bairro Novo Empreendimentos Imobiliários, empresa da Odebrecht para o segmento popular. Serão investidos R$600 milhões, recursos que virão do FGTS a partir da venda de debêntures (títulos de crédito) da empresa ao fundo.

Segundo o diretor financeiro da Odebrecht, Marcelo Neves, as unidades serão padronizadas, com dois quartos, e erguidas a partir de um método industrial que permite a construção de 500 casas a cada seis meses. O empreendimento ficará na Via Dutra, Km 190.

“Teremos velocidade na replicação do método e alta qualidade nas construções. Seguiremos o conceito de bairro planejado, com toda infraestrutura de lazer comum nos condomínios de hoje”, disse Neves, ressaltando que outras regiões do Rio, além de Queimados, poderão receber investimentos dentro do projeto.

A seleção dos futuros moradores seguirá os moldes do “Minha casa, minha vida”, ou seja, será feita a partir dos cadastros dos governos municipais e estaduais.

MUDANÇA NO TETO – O valor máximo dos imóveis comprados por meio do programa “Minha casa, minha vida”, com recursos do FGTS, foi ampliado. Nas cidades com população de 250 mil a 500 mil habitantes, passou de R$80 para R$100 mil. Nas capitais e municípios com mais de um milhão de moradores, o teto sobe de R$100 mil para R$130 mil. Para as regiões metropolitanas do Rio e de São Paulo e para o Distrito Federal não haverá mudanças, porque nessas regiões já era permitido o valor de R$130 mil.

As alterações vão valer após publicação no Diário Oficial da União, o que deverá ocorrer amanhã.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.