22/04/2009

Mais crédito para comprar eletrodoméstico

Fonte: Jornal da Tarde

Caixa Econômica Federal deve lançar uma nova linha de financiamento para o consumidor

No embalo da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para produtos da chamada linha branca – geladeira, fogão, máquina de lavar -, os bancos públicos federais, principalmente a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil (BB), vão investir mais no crédito ao varejo. Ontem, a presidente da Caixa, Maria Fernanda Ramos Coelho, admitiu que o banco estuda novas possibilidades de financiamento de produtos da linha branca.

O vice-presidente de Pessoa Física da Caixa, Fábio Lenza, lembrou que o banco, que já tem um cartão específico para financiar esse segmento, o Crediário Caixa Fácil, está negociando a expansão do crédito ao varejo com “mais de 100 grupos” empresariais.

Por meio de sua assessoria, o BB disse que já dispõe de linhas de crédito voltadas para o varejo, está pronto para atender à demanda tanto de pessoas físicas quanto de jurídicas e que vai “intensificar” sua atuação no segmento. E como no caso da Caixa, o BB também negocia parcerias com grandes redes do setor.

Com o incremento dos negócios do BB e da Caixa no varejo, o governo abrirá um novo flanco de estímulo à competição no sistema financeiro. A presença no ponto de venda dos produtos é considerada estratégica, uma vez que o cliente pode comprar o determinado bem e contratar imediatamente o financiamento por meio da financeira ou banco que tem parceria com o varejista. O BB, por exemplo, estaria negociando um pacote de produtos, serviços e crédito com a Magazine Luíza.

Segundo Maria Fernanda, a Caixa deve buscar “novas formulações de crédito” e tentar facilitar o acesso dos consumidores aos financiamentos, diante da potencial expansão do setor com a redução temporária do IPI. “Estamos, a partir da redução do IPI, estudando novos lançamentos. Nossa contribuição vai ser exatamente em parcerias com grandes redes de varejo. O consumidor escolheria o produto e já teria disponível o crédito da Caixa”, afirmou.

ALÍQUOTAS – A redução do IPI para produtos da linha branca foi anunciada na última sexta-feira pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. A geladeira teve a alíquota reduzida de 15% para 5%; o porcentual do imposto cobrado pela fabricação de fogões, de 5%, foi zerado; nas máquinas de lavar o imposto caiu de 20% para 10%. Os tanquinhos também tiveram a alíquota de 10% reduzida a zero.

O benefício vale por três meses e com isso deixarão de entrar nos cofres do governo R$ 173 milhões.

Por um acordo entre o governo e a indústria, a produção que foi faturada com as alíquotas normais do IPI e já estava no estoque do varejo foi refaturada para as baixas chegarem aos consumidores o quanto antes.

No sábado, primeiro dia de vigência da medida, alguns varejistas registraram aumentos nas vendas de linha branca da ordem de 25%. O comércio espera que esse tipo de benefício, que já foi concedido também a veículos e material de construção, impulsione as vendas do Dia das Mães.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.