22/05/2009

Mais imóveis por R$ 130 mil

Fonte: Jornal da Tarde

Sobe em 40% a oferta de unidades que podem participar do programa Minha Casa Minha Vida

Sérgio Castro/AEOsvaldo eMaria Aparecida encontraram sua casaemAE Carvalho antes do Feirão, e aproveitaram a estrutura do evento para fechar negócio

O Feirão da Casa Própria promovido pela Caixa Econômica Federal em São Paulo tem este ano 28,2 mil imóveis novos com preços de até R$ 130 mil, 40% a mais do que os 20,2 mil colocados à venda no ano passado nesta faixa de preço. Este é o valor o máximo para que o comprador consiga participar do programa Minha Casa, Minha Vida, lançado este ano pelo governo federal.

Ontem, o primeiro dia da 5ª edição do evento (que vai até domingo), 15,5 mil pessoas foram ao Centro de Exposições Imigrantes, na zona sul da capital. Segundo os organizadores, até as 18h30, o volume negociado pela Caixa havia sido de R$ 161,7 milhões, sem contar os negócios fechados com construtoras e imobiliárias.

Para o vice-presidente da Caixa, Jorge Hereda, o pacote aumenta o potencial do Feirão, já que há grande oferta para o público de 3 a 10 salários mínimos. ?Era o segmento mais demandado nos anos anteriores ao pacote, portanto tem muito lançamento?, diz.

Os preços médios dos imóveis novos subiram 8,6%, quando comparados aos oferecidos do ano passado: R$ 141,1 mil este ano, contra R$ 129,9 mil em 2008.

O total de unidades novas disponíveis é de 42,5 mil, nas mãos de 130 construtoras. Além delas, 133 imobiliárias oferecem outros 67,4 mil imóveis usados, com regras de financiamento semelhantes às dos novos prontos ou na planta. Ao todo, estão à disposição dos interessados mais de 100 mil opções na capital e na Grande São Paulo.

Para ter acesso às vantagens do Minha Casa, Minha Vida, além de respeitar o teto de preço, a família precisa ter renda de três a dez salários mínimos (de R$ 1.395 a R$ 4.650). O financiamento pode chegar a 100% do valor do imóvel com prazo de 30 anos. Famílias com renda de até três salários mínimos também são contempladas pelo programa, mas a feira não traz opções para esta faixa. Neste caso, a inscrição deve ser feita nos órgãos habitacionais municipais.

IMPULSO – Depois do lançamento do programa, o perfil dos empreendimentos começou a mudar: das unidades em avaliação pela Caixa, 26,8 mil são para a faixa de até três salários, 23,5 para a de três a seis e 21 mil para 6 a 10 salários. ?É um número significativo para a primeira faixa. Antes não havia lançamentos para ela porque não havia o financiamento?, diz Hereda.

A Caixa concedeu, até 18 de maio, R$ 11,7 bilhões em financiamentos, alta de 112% sobre o mesmo período de 2008.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.