21/10/2007

Marcação cerrada

Fonte: O Globo

Em marketing superagressivo, construtoras vão aonde o potencial comprador está

Carlos IvanZap o especialista em imóveisO casal de “noivos”, durante a representação do esquete nun bar da zona Sul

Num fim de tarde de sábado, clientes de um movimentado bar da Zona Sul do Rio são surpreendidos pela entrada de um casal de noivos — vestido para o casamento — que discute sem parar. Ela não quer mais casar porque não quer morar com a sogra. Ele insiste. Ela resiste. Todos, em volta, estão estupefatos. Então, o noivo resolve o problema: vai comprar um apartamento de uma construtora que oferece mil e uma facilidades. É aí que os clientes do bar entendem que estão diante de um casal de atores, apresentando um esquete promocional da tal empresa.

É que, embora o crédito para a casa própria no momento seja farto — o que significa mais compradores — também há no mercado lançamentos a perder de vista. As construtoras, então, têm que caçar o potencial cliente à unha. Segundo o vice-presidente da RJZ/Cyrela, Rogério Zylberstajn, a meta das empresas é acelerar a velocidade de vendas:

— O ideal é vender tudo num dia só. E o bom é vender em até seis meses. O alto investimento, portanto, não é dinheiro jogado fora, já que, com o mercado favorável, é possível alcançar a meta.

Apartamento servido como prato principal

Em alguns casos, as ações promocionais são justamente para acabar com unidades em estoque. Caso da campanha Mude Já!, da Gafisa — a construtora do esquete dos noivos —, que oferece mudança imediata, prazo de 20 anos para pagar e entrada de 10% do valor do imóvel, em empreendimentos de Barra, Jacarepaguá e Macaé. Em três meses, as vendas dos imóveis remanescentes chegaram a R$55 milhões.

A RJZ/Cyrela também já faz marcação cerrada a possíveis clientes. Promotores com roupas de época e corneteiros para receber visitantes num lançamento são algumas das ações de marketing. Num clima que contagia até quem trabalha para a empresa. Como a corretora Maria Paula Carvalho, que — por conta própria e autorizada por seu gerente — decidiu visitar restaurantes do Centro do Rio para divulgar empreendimentos. Hoje, ela pode ser vista no Margutta, no edifício da Firjan, na hora do almoço, apresentando imóveis top de linha para executivos:

— É uma abordagem direta. Pego os contatos e agendo visitas ao empreendimento. O resultado tem sido muito bom. Logo no primeiro dia, dez pessoas se interessaram.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.