17/09/2006

Materiais antigos têm boa qualidade

Fonte: O Estado de S. Paulo

Para Cesar Bergstrom, diretor de urbanismo do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco), “vai chegar a hora em que as pessoas vão voltar para esses imóveis”. Bergstrom já acompanhou vários casos de compra e reforma de imóveis antigos na cidade e diz que o maior problema não é a idade.

“Ao contrário. A tubulação de ferro galvanizado, por exemplo, se for bem antiga dura no mínimo 20 anos”, diz. Elas também estão instaladas em lages rebaixadas, o que permite “intervenções sem ter que amolar o vizinho”.

Bergstrom tem algumas dicas para quem quer morar em um cinquentão. “Na hora de comprar, é preciso se certificar das condições gerais do prédio e verificar quais as intervenções para manutenção feitas nos últimos anos”. O foco deve estar nas instalações elétricas e hidráulicas. “Se a tubulação estiver com problemas, a água sai avermelhada e/ou em pequeno volume das torneiras”, ensina.

O segundo ponto de inspeção são as garagens, quando existirem. “Se o sistema de impermeabilização estiver vencido, haverá poças de água”. E o terceiro, verfica indícios da presença de cupim, uma praga que resiste em São Paulo desde os tempos de Anchieta. “As infestações são controláveis, mas perturbam”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.