08/10/2006

Materiais básicos e idéias criativas

Fonte: O Estado de S. Paulo

Araras e caixotes, por exemplo, são recursos simples e ainda muito interessantes para projetos novos

Iêda Marques/DivulgaçãoZap o especialista em imóveisNa roça – Foto feita para a exposição Casas do Brasil,em cartaz no Museu da Casa Brasileira

Embora o século 20 tenha registrado grandes inovações, as soluções mais eficientes para guardar coisas ainda são araras e caixotes. Uma dupla que pode ter muita criatividade, aliás. “Na cozinha de roça, por exemplo, tudo fica à mão”, diz o arquiteto Marcelo Ferraz, herdeiro de Lina Bo Bardi, pioneira na aplicação de soluções rurais para habitações urbanas. Ferraz é proprietário da marcenaria Baraúna, que projeta móveis exclusivos em madeiras brasileiras. “Aqui, a função é que define a forma”, explica.

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisCaixas – A Ornare optou por elas para guardar pequenas peças no armário da linha Anima

A Ornare, fábrica de móveis de alto padrão, adota araras como cabideiro e caixas para guardar vários objetos. “Elas são importantes em um closet, para guardar acessórios ou peças que não são usadas diariamente”, explica Sergio Spadari, diretor-comercial da empresa. “O objetivo é organizar a vida da pessoa”, completa.

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisSob medida – Gaveta de jóias, da Ornare; cabide extensível, da Criare

Sobre os materiais mais usados, Spadari diz que a madeira ainda é o melhor. “Não usamos madeira maciça por causa da grande demanda. Não dá para ter garantia de qualidade”, explica. Spadari diz que a umidade, comum na madeira e que provoca fungos e mal cheiro, pode ser evitada com o tratamento do local.

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisFácil acesso – Prateleiras no lugar de gaveteiro, para facilitar acesso, no armário da Criare

“Uma manta asfáltica resolve o problema”. Mas na praia, a umidade está no ar. “O melhor são armários feitos com escaninhos de madeira e fechados com cortina de pano”, aconselha Ferraz.

Na cozinha 

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisNa cidade – gavetões (da Criare), Aramados (da Kitchens) e tela nas portas (da Secrets Famille)

A equação principal a ser resolvida na cozinha é o excesso de coisas e a falta – cada vez maior – de espaço. “Usamos armários de canto, aramados e gavetões”, diz Rogério de Oliveira, consultor da Criare, divisão do grupo Carraro, quarto maior fabricante de móveis do Brasil.

A segunda, é a escolha dos materiais. “Ao contrário do que muitos imaginam, não é vantajoso optar pela madeira natural. O MDF e o aglomerado são mais resistentes”, afirma José Bonetti, designer da Kitchens. Infiltrações de água são resolvidas com ajustes no sistema hidráulico, para não haver vazamentos, e a impermeabilização de piso e paredes. “Usamos também bandejas de alumínio nas partes que possam entrar em contato com a água”, explica Oliveira, da Criare. O consultor diz que na Itália, já se faz a caixa inteira com alumínio. “Mas custa, em média, US$ 40 mil”. “Além disso, risca e amassa com facilidade. É mais indicado para detalhes ou espaços que exijam pouca atividade”, avisa Bonetti. O uso da laca deve seguir a mesma orientação, pois risca. “Como qualquer outra pintura”, acrescenta.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.