11/01/2018

MDF, compensado ou maciça: saiba como escolher a madeira certa na decoração

Tipo de decoração, móvel, ambiente e orçamento são questões que pensam na hora da escolha

Fonte: ZAP em Casa

Na hora de fechar o projeto de arquitetura do imóvel, não basta apenas pensar na beleza ou funcionalidade. Alguns pontos devem ser analisados com atenção para que a decoração vá além do aspecto estético ou prático.

+Baixe o App de Faça Você Mesmo do ZAP em Casa

+ Siga nosso perfil no Pinterest

Detalhes como o tipo de material a ser usado devem ser definidos com propriedade a fim de garantir uma maior durabilidade. Afinal de contas, ninguém quer gastar à toa. Um dos pontos importantes a ser levado em consideração é a escolha da madeira para cada tipo de móvel ou ambiente.

(Foto: Shutterstock)

São três opções, entre MDF, compensando e madeira de lei, e eleger o material de forma adequada pode resultar em beleza, economia, resistência e durabilidade. Saiba como escolher a madeira certa para o seu projeto.

O tipo de ambiente é o primeiro fator determinante na escolha da madeira porque alguns tipos se adequam melhor em ambientes internos e outros podem ser usados nos externos também. “Tanto o MDF como o compensado devem ser utilizados em ambientes internos, pois sofrem com a umidade e exposição solar diretas. Já a madeira maciça pode ser utilizada em ambientes internos ou externos. Mas cuidados e manutenção são essenciais, pois também sofre com a ação de chuva e sol. Para garantir sua durabilidade, precisa da aplicação de vernizes pelo menos uma vez por ano”, explica o arquiteto Artur Diniz.

(Foto: Shutterstock)

Porém, é preciso ter muita cautela se for utilizar a madeira em ambientes que tenham mais uso de água, como banheiros, áreas de serviços e cozinhas. “É preciso ter o cuidado de verificar frequentemente se existem pontos de infiltração de água e limpar respingos que possam vir a se infiltrar nos móveis”, sugere Artur Diniz. A questão é que o material pode se danificar em contato com a água. “Algumas madeiras suportam mais o contato do que outras. O MDF e compensado não aguentam água . Se tiverem contato com a água parada por alguns minutos podem inchar e você perder o móvel. Já o compensado naval suporta mais, tem mais resistência e por isso é mais caro”, completa a arquiteta Juliana da Mata.

O resultado esperado para a decoração do ambiente é fator que também deve ser levado em consideração. “O MDF e o compensado são chapas lisas e pouco espessas e, com eles, pode-se obter um design mais leve e moderno, mais adequado a uma decoração clean. Podemos até dar um ar rústico através do revestimento, mas limitado se comparado à madeira maciça”, ressalta Artur Diniz. “Já com a madeira maciça poderemos explorar dormentes, galhos, troncos em seu formato original como uma rica peça de arte ou usá-la da forma tradicional, em móveis rústicos ou modernos. O que vai dar o estilo de decoração é o desenho da peça e seu acabamento”, acrescenta.

(Foto: Shutterstock)

Os usos também variam de acordo com o tipo de decoração desejado. “Com o MDF, para obter uma riqueza visual, podemos usar algumas peças laqueadas e outras revestidas com laminados madeirados, o que vai garantir uma riqueza estética”, explica o arquiteto. O compensado, por sua vez, pede linhas retas e vai conferir uma aparência mais moderna ao ambiente.

“Armários, bancadas e prateleiras poderão se repetir e até dialogar com outros materiais ou revestimentos existentes do mesmo ambiente, garantindo harmonia”, sugere. Já a madeira maciça confere um ar de sobriedade a qualquer ambiente e, por isso, pode ser associada a outros materiais mais leves e cores mais claras para não resultar em um ambiente pesado. “Se você tem uma mesa de aspecto pesado, mas pretende quebrar a robustez da madeira, experimente usar cadeiras e outros elementos de design leve no ambiente. Vidros, espelhos e cores claras também são bem vindos”.

(Foto: Shutterstock)

O tipo de móvel também deve ser levado em consideração na hora de eleger a madeira ideal. “Se o ambiente for propício e se não vai suportar excesso de peso, poderemos escolher MDF, compensado ou madeira. Neste caso, o que vai influenciar na escolha é o gosto estético. Embora possamos executar uma infinidade de armários e móveis em MDF e compensado, algumas peças, por suas formas e texturas, só conseguiremos executar em madeira maciça”, ressalta o arquiteto. A escolha certa pode garantir não apenas beleza e segurança, mas também uma maior durabilidade. “Às vezes é necessário usar mais de um material em um móvel para obter um bom resultado estético e uma boa vida útil”, complementa.

Segundo Juliana da Mata, o MDF é mais prensado e geralmente mais pesado, por isso é mais usado em corpo de móvel. Já o compensado é mais oco e, por isso, mais leve. “Ele é mais usado em portas de móveis porque impacta menos nas dobradiças e tem menos chances de empenar”, explica a arquiteta. Além disso, é possível encaixar cada tipo de material na decoração do ambiente. “Os mobiliários e roupeiros em geral são de MDF e MDP.

(Foto: Shutterstock)

Compensado se usa menos devido ao valor, mas é indicado para mobiliários em geral e mais ainda em áreas molhadas por ter mais resistência à água. Madeira maciça é usada de uma forma mais nobre em portas sociais, tampos de mesas de jantar, mesas de centro , painel ripado, entre outros. As possibilidades são infinitas,mas tudo vai variar de acordo com a disponibilidade de gasto de cada pessoa”, determina.

Fazer um planejamento adequado vai evitar gastos em excesso de imediato e também no futuro. “Faça um planejamento de suas possibilidades porque pode valer a pena fazer uma substituição por um de MDF ou compensado de boa qualidade. A oferta de mobiliário é imensa, com preços bem diversos. Se um móvel de madeira maciça não cabe no seu bolso, podemos substituir por um de MDF ou compensado e garantir uma boa economia. Mas tem que ser uma troca consciente, pois não adianta diminuir a qualidade de ferragens, por exemplo, e se arrepender depois”, atesta Artur Diniz.

(Foto: Shutterstock)

Existe diferença de preços e é preciso avaliar bem o orçamento para adequar o melhor tipo de madeira sem estourar o bolso. Geralmente, o MDF e o compensado são mais em conta que o compensado naval. Mas o mais caro é a madeira maciça. “O MDF cru costuma ser em torno de 20% mais barato que o compensado, também sem revestimento. Embora a madeira maciça de boa qualidade seja sempre mais cara, em torno de 2 a 2,5 vezes mais cara que o compensado, alguns quesitos diminuem a diferença para o custo de um móvel de MDF ou compensado, como o design do móvel, a empresa fornecedora, as ferragens, entre outros aspectos”, afirma o arquiteto.

Como usar cada tipo de madeira:

MDF:

Pode ser usado laqueada, revestida com chapa de laminado melamínico ou folheado de madeira. Usar em ambientes banheiros, cozinhas e serviços, mas requer atenção constante contra água. Proteger de infiltrações, limpar respingos de água imediatamente e evitar que os móveis toquem o chão, pois são áreas que precisam ser lavadas constantemente. Também deve ser protegida do calor. Nos balcões de cozinha, serviço e banheiro, o tampo de granito deve se projetar pelo menos 2 centímetros para proteger o armário inferior de respingos constantes.

Compensado:

Seu uso mais comum é revestido com laminado melamínico ou folheado de madeira. Mas poderá também ser usado para fabricação de mesas e até cadeiras, de preferência quando associado a estrutura de madeira maciça. Pode ser usado em armários de cozinha, serviços e banheiros. Apesar de serem mais resistentes que o MDF- em função do seu processo de fabricação- devem seguir os mesmos cuidados em relação à agua.

Madeira de lei:

Pela sua praticidade e beleza, podemos usar em praticamente todos os móveis: cadeiras, mesas de centro, mesas de jantar, aparadores, cristaleira, entre outros. A cor e tonalidade da madeira, a aparência dos veios, os acabamentos desejados, o local de uso, o tipo e estilo do móvel vão dar a tônica da decoração. Cada estilo de decoração vai pedir um tipo de acabamento. Uma decoração rústica pede uma madeira mais marcada, com veios mais visíveis. Uma decoração mais moderna pede uma madeira com acabamento mais fino e delicado.

(Foto: Shutterstock)

+ Tendência: Bancada de madeira na cozinha

+ Madeira e azulejo são opções sofisticadas e práticas para o piso

+ Inspiração: veja como combinar mármore e madeira na decoração

+ Faça você mesmo uma cabeceira de cama com ripas de madeira

+ Paredes revestidas com madeira deixam o ambiente rústico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.