03/10/2007

Medidor de luz digital em 5 anos

Fonte: Jornal da Tarde

Troca dos atuais aparelhos ocorrerá na Grande São Paulo

Sergio Castro/AEZap o especialista em imóveisEmaranhado de ‘gatos’ no Jardim Edith, Zona Sul de São Paulo, região em que começará a troca de medidores

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em um prazo a partir de cinco anos, todos os medidores de consumo de energia elétrica, dos 1,4 milhão de clientes da AES Eletropaulo na Grande São Paulo, serão trocados pelo modelo de medidor eletrônico. Essa alteração não acarretará custos para o consumidor e a previsão da companhia é de que, com a redução das perdas de energia, possa ocorrer uma queda no preço da tarifa.

A mudança faz parte do programa de combate de perdas de energia da AES Eletropaulo, que pretende reduzir o desperdício com furtos (fraude em medidores) e também “”gatos”” (ligações clandestinas). O modelo será implementado, a princípio, como um projeto piloto, já no início do próximo ano. “”Estamos fazendo um mapa para identificar as áreas de maior perda de energia e instalar o piloto. Sabemos que deve ser em algum bairro da periferia da Zona Leste ou da Zona Sul””, argumenta o diretor de Gestão da Receita da AES Eletropaulo, Charles Capdeville.

Pelo novo sistema será eliminada a necessidade de um leiturista para fazer a medição mensal do consumo de energia elétrica nas casas. Os dados serão enviados diretamente para a central da empresa – por meio de cabos de fibra óptica, rádios ou telefones celulares. Essa medida também permitirá à Eletropaulo identificar sinais de interferência na rede, como furtos ou “”gatos””. “”A ligação remota vai monitorar o consumo e suas variações. Quando alguma variação for percebida ela poderá ser imediatamente identificada e combatida””, explica Capdeville.

Depois de aprovado o projeto piloto, a empresa prevê um período entre cinco e dez anos para expandir essa tecnologia para toda a sua área de concessão, que engloba 24 municípios da Grande São Paulo. Até o término da instalação, a expectativa é que 60% do desperdício registrado hoje deixem de existir. Capdeville explica que, com isso, as contas de consumo também sofrerão alterações, para menos. “”Hoje o fraudador e o mau pagador prejudicam o bom pagador porque essa perda (com “”gatos”” e furtos) vai para a conta do cliente. Reduzindo as perdas, as tarifas também deverão ser reduzidas.””

Para colocar toda essa tecnologia em prática, a empresa pretende utilizar a rede de fibra óptica já existente de propriedade da Eletropaulo Telecom e, onde não houver instalação desse recurso, a medição será feita por outros meios remotos, como celular e rádio. A AES Eletropaulo fará a troca dos medidores sem custo para o consumidor, já que a propriedade dos equipamentos é da concessionária. “”A idéia é que todos os clientes tenham o medidor eletrônico””, sinaliza o diretor de Gestão da Receita da empresa. “”Começamos o ano que vem com o projeto piloto e, se der certo, vamos expandir para todos os usuários.””

Atualmente, 80 prédios da Capital já possuem o medidor eletrônico. São edifícios novos nos quais o serviço foi pedido pela própria construtora. De acordo com Capdeville, no Brasil apenas a concessionária Ampla, que opera no Estado do Rio de Janeiro, utiliza esse sistema de medição. Mas esse mecanismo já é muito aplicado em países da Europa e também nos Estados Unidos. A Eletropaulo deve investir cerca de R$ 700 milhões para a implementação do projeto.

Como é atualmente

O funcionário da AES Eletropaulo faz a leitura do medidor eletromecânico mensalmente, na residência do cliente

Ele repassa os dados de consumo para a Central da Eletropaulo

A Central aplica a tarifa aos dados de consumo e emite a conta para o cliente

Como vai ficar 

A Eletropaulo vai fazer a troca dos medidores eletromecânicos pelos eletrônicos

A medição do consumo será feita automaticamente, por meio de cabos de fibra óptica conectados ao medidor, ou por celular ou rádio

Os dados serão contabilizados e a fatura será emitida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.