30/10/2006

Melhora a oferta de financiamentos

Fonte: O Estado de S. Paulo

Creci-SP registrou, em pesquisa, redução de juros e menos burocracia para obter crédito para a casa própria

A redução de juros nos primeiros três anos de financiamento imobiliário, facilidades para comprovar renda e o interesse do mercado são alguns dos aspectos que fazem com que o crédito esteja mais acessível hoje. Esta é a avaliação de pesquisa feita pelo Conselho Regional de Corretores (Creci-SP) sobre o financiamento em dez bancos.

Para o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, o mercado estável e a segurança jurídica fazem com que os empreendedores invistam na construção de residências e os bancos trabalhem em competitividade saudável. “Temos um cenário gratificante para nossa categoria que luta há anos por melhores condições para a população ter acesso à casa própria.”

A Caixa Econômica Federal e a Nossa Caixa destacaram-se na pesquisa “por financiar de 90% a 100% do valor do imóvel novo, prazo de 20 anos e juros a partir de 6% ao ano (Caixa) e limite de idade de 80 anos”. Viana Neto diz que os bancos privados passaram também a oferecer melhores condições para o crédito para imóvel usado. Segundo o Creci-SP, Oferecem prazo de 20 anos para o financiamento de imóvel usado: Bradesco, Santander Banespa, Caixa e Nossa Caixa. Nos demais bancos pesquisados pelo Creci-SP o prazo só vai até 15 anos.
Vários bancos adotaram taxas de juros menores nos primeiros três anos do financiamento (veja tabela ao lado).

Juros e renda 

A Caixa oferece a menor taxa de juros – 6% ao ano nos empréstimos pela Carta de Crédito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Já a maior taxa de juros – 18,45% é a do Santander Banespa nos empréstimos SuperCasa 20 SFH (Sistema Financeiro de Habitação), para renda a partir de R$ 2,5 mil e máximo de crédito de R$ 245 mil e Carteira Hipotecária.

A pesquisa mostra que a Caixa é aquele que financia a menor renda – R$ 300,01. A Nossa Caixa atende trabalhadores com renda a partir R$ 400. O Bradesco é o que atende à menor renda entre os privados – R$ 1.333,33.

O banco também oferece a novidade das prestações fixas para empréstimos de até R$ 250 mil, com 16% ao ano e prazo de 12 anos. A maior renda mínima exigida é a do BankBoston, instituição recém-incorporada pelo Itaú, estabelecida em R$ 4 mil.

A maioria dos bancos opera com o Sistema de Amortização Constante (SAC) no cálculo do valor das prestações – em que as parcelas tendem a diminuir – e usa a Taxa Referencial de Juros (TR) como fator de correção das prestações.

Informações:
www.creci.org.br; www.santanderbanespa.com.br; www.bankboston.com.br; www.bradesco.com.br; www.caixa.com.br; www.hsbc.com.br; www.itau.com.br; www.nossacaixa.com.br; www.bancoreal.com.br; www.sudameris.com.br; www.unibanco.com.br
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.