10/08/2007

Mercado imobiliário ainda tem armadilhas

Fonte: Jornal da Tarde

Golpes dos mais variados continuam fazendo vítimas no ramo; veja como evitá-los durante a compra e venda

Vivi Zanatta/AEZap o especialista em imóveisCuidado para que seus dados não acabem entre os milhares de documentos falsos apreendidos pela polícia

Além de colher seus louros, a expansão do mercado imobiliário também tem registrado suas vítimas. São compradores, vendedores, corretores de imóveis e até terceiros que não têm nenhuma relação com as negociações mas que acabam se tornando alvos de golpistas especializados no ramo.

Os golpes são os mais variados e envolvem todos os estágios de compra e venda de imóveis. Vão desde a concessão de um crédito inexistente para a aquisição da casa própria até a venda de uma unidade para dois interessados distintos ou de um terreno ‘fantasma’

. A desinformação, a falta de atenção na hora de fechar o contrato e até o próprio azar são oportunamente aproveitados por estelionatários.

“Temos um problema sério de falsificação de registro imobiliário e certidão de propriedade. É o mais grave que existe no mercado”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP). Segundo ele, os documentos falsos são utilizados, principalmente, por falsos corretores que se valem de boas ofertas para atrair vítimas.

Ainda existem aqueles que, para vender o próprio imóvel mais rápido, omitem informações que poderiam comprometer a negociação ou ainda fraudam procurações. “São pessoas que tentam vender sem autorização judicial um imóvel que tem um herdeiro vinculado ou fruto de separação de casais sem o consentimento de um deles”, relata Viana Neto.

Nesses casos, o presidente do Creci recomenda às partes envolvidas transferir toda a responsabilidade para o corretor ou imobiliária. “O Código Civil garante. Eles ganham para isso e sabem pesquisar os imóveis”, afirma. E para não ser vítima de um falso consultor imobiliário, recomenda-se levantar a idoneidade da empresa no site do Creci.

Falso empréstimo

Segundo o titular da Delegacia de Repressão a Estelionato do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), Fábio Lopes Pinheiro, o golpe do falso empréstimo é o mais comum no mercado. “São aqueles que anunciam em jornais ofertas de crédito. Quando a vítima deposita o caução, às vezes 10% do valor, o sujeito desaparece”, conta.

A orientação é sempre desconfiar de financiamentos e ofertas que estejam muito abaixo dos praticados pelo mercado, consultar a idoneidade das empresas nos órgãos de defesa do consumidor ou Banco Central e nunca fazer depósitos ou transferência para uma conta de pessoa física.

Os golpes mais comuns do mercado imobiliário

Falsa documentação

Após obter cópia da escritura com dados do verdadeiro dono, o golpista falsifica documentos e assina no lugar dele

Documentação esquentada

Com o nome sujo, o dono vende o imóvel para um conhecido que tem ficha limpa e abre mão de certidão negativa. Esse, o revende a um terceiro

Quem chega primeiro leva

O dono vende o imóvel para várias pessoas com a mesma documentação. Ao receber os sinais ou toda a quantia , some

Cônjuge sem consentimento

Alguém vende o imóvel sem autorização do cônjuge, usando uma procuração falsa

Golpe da herança

Omite-se um menor herdeiro

Localização errada

O endereço do imóvel vendido não corresponde ao do registro

Terreno fantasma

Lotes em áreas inabitáveis

Falso empréstimo

Criminoso anuncia crédito para compra de casa e pede depósito antecipado de um porcentual do financiamento. Quando a vítima paga, ele some

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.