02/05/2013

Mesmo com alta dos juros, momento é propício para financiamentos de imóveis

Fonte: ZAP Imóveis

Segundo especialistas em finanças pessoais, o aumento deste índice não refletirá nos juros das parcelas dos imóveis adquiridos em longo prazo

Apesar do receio da população com a recente alta dos juros promovida pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central, que elevou a taxa Selic para 7,50% ao ano, o momento é favorável para se optar por um financiamento da casa própria.

Mesmo com alta dos juros, momento é propício para financiamentos de imóveis
De acordo com os especialistas, a decisão para a compra do imóvel em longos prazos deve levar em conta a relação custo-oportunidade (Fotos: Banco de Imagens / Think Stock)

Segundo especialistas em finanças pessoais ouvidos pelo ZAP Imóveis, o aumento deste índice não refletirá nos juros das parcelas dos imóveis adquiridos em longo prazo.

“Os contratos já firmados antes da elevação da taxa, em sua grande maioria, tiveram as suas parcelas fixadas no momento da operação, portanto, não haverá qualquer impacto no bolso do consumidor. Este novo ajuste deve influenciar apenas nas operações de curto prazo, o que não é característico do mercado imobiliário”, explica Wilson Justo, diretor de marketing da Sorocred, empresa do ramo financeiro.

“As taxas de juros dos financiamentos imobiliários têm se alterado recentemente muito mais pela concorrência de mercado, principalmente, entre os bancos, do que pela Selic”, completa Marcelo Prata, fundador e CEO do Canal do Crédito, site que compara produtos financeiros.

Ainda de acordo com os especialistas, a decisão para a compra do imóvel em prazos extensos deve levar em conta a relação custo-oportunidade, já que o momento é de acomodação dos valores dos imóveis.

“Se o bem ou recurso que se busca com um financiamento ou empréstimo podem aguardar uma acomodação do mercado, isso evidentemente deve ser feito. O que não deve existir é um temor exagerado em torno da Selic. Talvez, a valorização do imóvel seja muito mais atraente do que essa alta de juros”, aponta Justo.

Para Marcelo Prata, mesmo com a expectativa de novos aumentos na taxa básica de juros, o cenário será positivo para o crédito imobiliário ao longo de 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.