30/10/2006

Moradores se unem e levam verde ao Tiquatira

Fonte: O Estado de S. Paulo

Trabalho, praticamente familiar, foi iniciado há cerca de 1 ano e já mostra frutos

É um trabalho lento, mas ambicioso: arborizar a área do Tiquatira, na Penha, o principal espaço de lazer do bairro. Já são quase mil árvores da mata atlântica plantadas em um ano por três moradores. A meta é chegar a 5 mil em cinco anos. Mas quem corre ou passeia no local todos os dias começa a observar o reflexo da nova vegetação.

Com cerca de 2,5 quilômetros de extensão, a área verde do Tiquatira ocupa o canteiro central da Avenida Governador Carvalho Pinto. Antes do plantio, havia em torno de 600 árvores e mato alto. Inconformado com esse cenário, o administrador de empresas Hélio da Silva, de 53 anos, que caminhava todos os dias no espaço, decidiu que era hora de reverter a situação.

Apaixonado pela natureza, Silva acreditou que o plantio de árvores era o primeiro passo para começar a mudar a paisagem da avenida e do bairro. Sozinho, comprou as primeiras mudas e iniciou o plantio nos fins de semana. Ele se concentrou principalmente no trecho entre as Ruas Coronel Meireles e Mercedes Lopes. No início, a mulher e os três filhos foram resistentes à idéia. “Eles me diziam que as pessoas iriam arrancar tudo, que era perda de tempo. Mas eu queria fazer esse benefício não só para o meu bairro ou cidade e sim para o planeta”, ponderou o administrador.

Morador na Penha há quase 40 anos, logo começou a escolher as espécies da mata atlântica. Trouxe angicos, paineiras, pau-brasil, tipuana, ipê amarelo, guarantã e calaburo, que atrai 39 tipos de pássaros. Já são 40 espécies diferentes. Após o início do trabalho, o cunhado de Hélio, Bismarque Uejo, de 61 anos, resolveu ajudá-lo na missão de arborizar a região. “Faço caminhadas diariamente e também me senti responsável por mudar o local”, diz Bismarque, também uma vítima da violência urbana. Há sete anos, ele perdeu o único filho em um assalto. Hoje, acredita que é preciso melhorar a cidade em que vive e um primeiro passo é apostar no verde.

Passados cinco meses, as novas árvores começaram a chamar a atenção do aposentado Luis Gonzaga Marques, de 71 anos, que freqüenta a área todos os dias, acompanhado da sua inseparável cachorra Bolinha. “Comecei a observar as árvores e fiquei encantado com as pequenas plantas. A natureza é o que mais gosto na vida”, diz o aposentado. Ele acabou se unindo aos cunhados para dar sua contribuição e mudar a face do Tiquatira.

Rotina

Há dez anos, Luis tentou plantar árvores, mas desistiu e ficou frustrado. “As pessoas arrancavam tudo. Mas trabalhava sozinho, agora somos em três.” O trio estabeleceu uma rotina. Todos os fins de semana, vai para Arujá comprar as árvores e planta em torno de 20. Durante a semana, Bismarque e Luis ficam encarregados de cuidar da vegetação. Eles fazem cercados em volta das plantas e carregam água para regá-las. Trazem água em garrafões da própria casa e fazem várias viagens para amenizar o peso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.