23/09/2013

Morar em condomínio custa entre R$ 349 e R$ 1.644 em São Paulo

Segundo levantamento da Aabic, os custos condominiais subiram 0,4% na capital paulista, ficando acima da inflação medida no mesmo período

Fonte: ZAP Imóveis

Morar em um apartamento na cidade de São Paulo está cada vez mais caro. E não é somente por causa das taxas cobradas nos financiamentos dos imóveis.

A alta nos gastos se deve, principalmente, ao aumento de despesas com funcionários, benefícios e encargos sociais (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

Em julho, segundo levantamento da Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo), os custos condominiais subiram 0,4% na capital paulista, ficando acima da inflação medida no mesmo período – alta de 0,26%, de acordo com o IGPM (Índice Geral de Preços-Mercado).

Com isso, o custo médio da taxa de condomínio na cidade chegou a R$ 847, segundo a pesquisa.

Na divisão por número de quartos, o gasto mensal para o morador do imóvel de um dormitório é de R$ 349, enquanto para apartamentos com dois, o valor atingiu R$ 507, em média. Já no caso de três dormitórios, é preciso desembolsar R$ 1.018, e no de quatro, cerca de R$ 1.644.

Em nota, a Aabic apontou que a alta nos gastos se deve, principalmente, ao aumento de despesas com funcionários, benefícios e encargos sociais, que aumentaram 0,77%, 1,26% e 1,48%, respectivamente. As elevações dos itens relativos ao consumo foram consideradas normais, sendo que o consumo de água registrou elevação de 0,44%, e a energia, queda de 0,60%.

Para o diretor de condomínios da associação, Omar Anauate, é esperada uma estabilidade nos custos em agosto, apesar das últimas altas.

“Síndicos e moradores devem estar atentos a aumentos abruptos ou gastos muito acima da média de condomínios com o mesmo porte e padrão”, recomendou, via nota.

O levantamento foi realizado com 2.638 condomínios administrados por 15 empresas da capital paulista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.