11/08/2010

“Morar mais por menos” traz projetos criativos e soluções funcionais

O Apartamento da mulher tem cores fortes nas paredes e poucos móveis (Foto: Divulgação)
O Apartamento da mulher tem cores fortes nas paredes e poucos móveis (Foto: Divulgação)

Firme no propósito de projetar espaços (elegantes) que cabem no bolso – com direito a soluções sustentáveis e produtos artesanais – a 7ª edição da mostra “Morar mais por menos” aporta na sede da Pequena Cruzada, na Lagoa, com nada menos que 75 ambientes, assinados por mais de cem profissionais. O evento começa nesta quinta e segue até 19 de setembro.

No “Espaço entre amigos”, da dupla de arquitetos Francisco Palmeiro e Giovanna Eirado, o destaque é a bancada da cozinha, cuja estrutura é feita de blocos de concreto aparentes com mesa para refeição acoplada, decorada com tela de proteção de obra nas laterais.

“A ideia era criar um ambiente em que cada objeto pudesse surpreender. Caso da mesa de centro com tampo de vidro apoiado sobre rolos de conduíte amarrados com corda de obra”, diz Palmeiro.

As arquitetas Paula Wanderley e Márcia Lira, por sua vez, optaram por usar cores fortes nas paredes e poucos móveis no “Apartamento da mulher”. As luminárias são uma bossa à parte. As da cozinha foram feitas com formas de alumínio; as da mesa, com lanternas japonesas.

No Espaço entre Amigos, a bancada é feita de blocos de concreto
No Espaço entre Amigos, a bancada é feita de blocos de concreto

“O bacana está em misturar estilos, com direito a elementos sustentáveis, outros de custo reduzido e alguns de decoração solidária, como as almofadas de fuxico produzidas por um grupo da Zona Norte carioca”, diz Márcia.

Criado em homenagem ao artista plástico Vik Muniz, o “Recanto do artista”, da designer Laura Faria, mostra que é possível atribuir novas funções a itens como os varais de alumínio que viraram luminária:

“Os porta-utensílios da escrivaninha são latinhas de alimentos. E as fotos decorativas são pôsteres ou foram impressas da internet.”

Idealizado pelo arquiteto Thoni Litsz, o “Estúdio sustentável” tem no design o seu ponto forte. Entre os destaques, um sofá feito com estruturas de pallets (suporte de madeira usado para cargas).

“Criei ainda uma cortina feita de lacres de lata de cerveja e refrigerantes laqueados de tinta branca. O efeito remete a renda”, dis Litsz.

As crianças também foram lembradas. No “Quarto de brincar” a decoradora Alessandra Amaral e a arquiteta Bianca Assuf lançaram mão de recursos incomuns. Lixeiras de metal são usadas para organizar brinquedos e telas de proteção guardam bolas no alto.  

LEIA MAIS:

Exposição faz releitura do Brasil através das peças do designer Sérgio Rodrigues

Portas de correr para ampliar ambientes e reforçar a decoração

Casa Cor Rio comemora 20 anos com homenagem ao jeito carioca de viver

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.