08/06/2008

Móveis aos pedaços

Fonte: O Globo

Dinâmicos, os sistemas modulares voltam à moda, no rastro da Feira de Milão

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisEm tamanhos e densidades de espuma diferentes, os módulos do sofá Do Lo Res, de Ron Arad, lançado em Millão

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Módulos de espuma, de tamanhos variados e densidades diferentes, formam o irreverente sofá Do Lo Res, lançamento da Moroso na Feira de Milão. O móvel, criado pelo israelense Ron Arad e que remete à paisagem irregular de uma cidade futurista, não foi o único dividido em pedaços, entre os apresentados no evento, em abril. Pois a tendência já chegou aqui: as novas coleções das lojas de decoração do Rio estão repletas de modulados.

A arquiteta Karla Brandão, supervisora de estilo da IMI Barra, lembra que esse tipo de móvel já foi moda nos anos 70 e 80, mas ressalta que ele volta em uma linguagem mais pura, minimalista e atemporal. Na loja, os módulos — de madeira laqueada em várias cores — são como grandes nichos, bem soltos e podem ser dispostos horizontal ou verticalmente.

— As bordas abauladas, mais usadas antigamente, foram substituídas por ângulos retos, algumas vezes com acabamento chanfrado, que fica mais leve — ressalta ela.

Projeto dos universitários Marcella Bacelar e Lucas Fontes, do curso de desenho industrial da PUC-Rio, a linha de móveis modulados Nido (ninho, em italiano) chamou a atenção do engenheiro Custódio Ribeiro, proprietário da Vimoso, que propôs à dupla colocá-la em linha de produção. O sistema — que é integrado por duas poltronas do tipo chaise-longue, banco e mesa de apoio — acaba de ser lançado na loja do Casashopping, durante o evento Interferências, em que as vitrines exibem trabalhos inspirados nas tendências de Milão.

Tramadas em junco natural, as peças são intercambiáveis, o que permite ter configurações diversas.

Divulgação Zap o especialista em imóveisDe junco natural, os móveis de vimoso podem ser encaixados ou não e permitem defirentes configurações. O conjunto custa R$ 8.382

 

— Há pelo menos três formas de organizar os módulos: é possível ter um extenso sofá, uma confortável namoradeira ou, ainda uma conversadeira, com uma chaise de costas para a outra. Ou o dono da casa pode simplesmente usar os módulos separadamente — sugere o empresário.

A mesma peça, em diferentes cômodos

Ana BrancoZap o especialista em imóveisGrandes nichos, totalmente soltos, podem ser dispostos horizontal ou verticalmente. Cada módulo sai a R$1,5 mil, na IMI na Barra

A Lacca também acaba de lançar a linha Mobile, um sistema modular minimalista que permite variações na montagem. Disponíveis em medidas padrão ou personalizados pela marcenaria da empresa, os componentes têm várias opções de acabamento, do padrão madeira até a laca acetinada, em 150 cores.

— A vantagem é a longevidade do móvel, uma vez que, em caso de mudança de cômodo ou endereço, os módulos são facilmente adaptáveis ao novo ambiente — ressalta Giordano Cacciola, dono da Lacca.

No Sistema Carrapixxxo, lançamento de Guto Indio da Costa que já abocanhou três prêmios de design, os módulos — prateleiras, nichos e cabideiros, entre outros — parecem flutuar, ligados por finas hastes com semi-esferas na ponta presas à parede com parafuso. Para mudar de lugar, basta desaparafusar. Os módulos são em laca — há mais de cem cores — e o painel de fundo pode ser de espelho, pedra, madeira natural ou laca. Com eles, forma-se o móvel que o morador quiser, explica a arquiteta Carol Schipper, que representa o Carrapixxxo no Rio.

— O mesmo gaveteiro usado na composição de um home theater, com calceiro embaixo, vira um closet, ou com prateleira, vira uma escrivaninha de um home office. Tudo depende de onde será instalado, da arrumação e dos acessórios.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.