30/03/2007

Nada como o espaço de uma casa

Fonte: Jornal da Tarde

Apesar da verticalização da Cidade, sempre haverá quem não abra mão de morar com mais liberdade

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisCasa sempre é uma boa opção para quem quer mais espaço e um quintal para as crianças poderem brincar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A vida na Capital exige muitas adaptações. Muitas vezes, viver bem requer abrir mão do espaço e do conforto que uma casa térrea oferece e optar por um apartamento que seja mais bem localizado ou mais em conta – mas, com certeza, com a impressão de ser sempre mais seguro.

A opção de viver em um espigão, rodeado de vizinhos – inclusive acima e abaixo do teto – não é o sonho de consumo da maioria. Mas, como escolher o local ideal para morar em uma casa? E como fazer para ter ao mesmo tempo conforto e segurança por um preço acessível?

Para aqueles cujo sonho da casa própria é levado ao pé da letra, o JT saiu em busca dos melhores bairros para viver. “Em todas as regiões da Cidade existem opções de bairros tranqüilos e agradáveis para se morar em casas”, argumenta o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP), José Augusto Viana Neto.

De acordo com o especialista, não existem dúvidas de que viver em casa na Capital ainda é uma boa alternativa. “A idéia de que os condomínios oferecem maior segurança é errônea. Segurança hoje em dia depende mais de sorte. Além disso, a casa oferece maior liberdade e privacidade que o apartamento”, completa.

A única coisa que ainda não dá para aliar no mercado de casas é escolher por regiões centrais. Nesses locais, a oferta é pequena e não existe o ar bucólico e a tranqüilidade que bairros mais periféricos oferecem. No Centro, as poucas casas já foram transformadas em pontos comerciais e, ao invés de vizinhos passeando pelas calçadas, existe uma concentração de ambulantes e trânsito intenso.

Bons negócios também podem ser feitos na aquisição de uma casa. O presidente do Creci-SP explica que isso é possível porque a maioria dos imóveis é de usados. Hoje em dia, é praticamente impossível comprar casas novas. Mas, com um pouco de criatividade, é possível deixar o lar com a cara do dono e garantir uma boa pechincha na compra, pelos itens que precisam de reforma.

Antes de bater o martelo, porém, é importante que o comprador fique atento a todos os detalhes e, além da localização e do preço, preste muita atenção em todos os itens para que o problema não venha a ser percebido só após o negócio concretizado.

Umidade nas paredes denotam vazamentos existentes. Os problemas na rede elétrica podem ser checados testando lâmpadas e aparelhos eletrodomésticos simultaneamente. Vale ainda conferir se o telhado está em ordem e também a existência de cupins. Abrir e fechar portas e janelas pode revelar problemas estruturais. Tudo isso pode – e deve – ser descontado do valor total.

 

Leia também

 

Opção pelo usado permite mudar-se já

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.