19/10/2010

Noções básicas para definir a lâmpada para o quarto

Noções básicas para definir a lâmpada para o quarto

Fonte: Revista do ZAP

Veja como escolher qual modelo usar nas luminárias de cabeceira e de centro no dormitório

Escolher as lâmpadas para o dormitório do casal se tornou tarefa sofisticada à medida que a oferta de soluções e luminárias cresceu. Essa decisão deve considerar o bem-estar, a preocupação com o ambiente e a economia de energia. Aí entra o sistema LED, dispositivo semicondutor e emissor de luz visível, criado em 1962 pelo cientista da GE Nick Holonyak e que virou tendência.

Pensando na necessidade de um projeto de iluminação flexível que possa passar de prático a romântico, pode-se começar pelas luzes de cabeceira, que decoram e servem para leitura e orientação ao levantar durante a noite. Essas lâmpadas precisam contribuir para clima confortável e íntimo.

quarto iluminado

Na hora de alterar a escolha em relação a ela, é importante lembrar que as diferentes temperaturas de cor da lâmpada em questão – de 2700K a 6500K – mudam a luminosidade: quanto mais alto o valor, mais parecida será com a luz do dia, branca-azulada. A partir de maio de 2011, entra no mercado uma opção para luz de cabeceira: a Energy Smart, de 9 watts, a novidade em LED da GE, desenvolvida para substituir as incandescentes de 40 watts. Além de economizar mais energia do que as eletrônicas, a Energy Smart terá vida útil de até 50 mil horas – uma lâmpada incandescente comum chega a mil horas.

Luzes embutidas, trilhos e ventiladores de teto são formas de iluminar o quarto. No ventilador, as lâmpadas produzem luz branca brilhante direcionada e uniforme e reduzem o consumo de energia em até 40%, quando comparadas aos sistemas fluorescentes T5. Se a preferência for por luzes embutidas no teto, as lâmpadas parabólicas PAR 30 de facho aberto são as ideais – podem ser halógenas de 50 watts ou LED de 7 watts.

> Dicas para escolher bem
Existem duas funções de lâmpadas:
– Luz de cabeceira: lâmpadas eletrônicas miniespirais T2 com temperatura de cor de 2700K (similar à cor das incandescentes), para dar sensação de aconchego.

– Luz de teto e geral: lâmpadas em formato parabólico PAR 20 halógenas ou de LED de 7 watts. As halógenas oferecem opção dimerizável para controlar a quantidade de luz. Quando o teto tem nichos, é possível criar um efeito relaxante de cortina de luz instalando o sistema modular LED Tetra AL10 ao redor do perímetro do nicho entre o teto e a parede. Saiba mais no site da GE Iluminação

À luz da moda
Os abajures estão requintados, grandes, com pantalhas duplas. A evolução das luminárias chegou até outra categoria, a dos quadros iluminados. O artista visual e fotógrafo Jorge Feitosa emprega imagens de suas viagens para criar luminárias com recantos de cidades como Paris, Amsterdã e Nova York.

quadros luminosos

Nas peças, o fotógrafo une lembranças de viagem ao seu passado com a decoração. São as Light and Colors, feitas com formato retangular, de madeira e vidro, com luz interna que ressalta as cores e ângulos presentes na imagem da fotografia. Cabem no quarto ou na sala de estar.

– Durante o dia, é uma foto emoldurada, à noite, se transforma em luminária – diz Feitosa.

luminária luzes do mundo
Produto da Luzes do Mundo

luminária luzes do mundo

Luminárias também contribuem com o estilo – na parede, no piso ou sobre um móvel, como os abajures. O espanhol Gretta é criação do designer Alfonso Fontal. Tem estrutura de haste e base em alumínio acetinado cinza-pérola e difusor interno em seda marfim e externo em vidro incolor. A lâmpada é bipino halógena.

Leia mais
>> Aprenda a fazer sua própria luminária
>> Iluminação pode criar diferentes ambientes em um mesmo espaço
>> Iluminação e estilo com abajur de parede
>> Luminárias ganham novas formas
>> Objetos básicos ganham destaque com modelos especiais
>> O luxo dos lustres
>> O futuro da lâmpada é o LED
>> LED fashion economiza 77% de energia
>> Conheça a revista Pense Imóveis

Tags: arquitetura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.