07/12/2007

Novas áreas são exploradas

Fonte: O Estado de S. Paulo

Construtoras começam a investir em regiões antes não valorizadas pelo mercado imobiliário

Regiões antes pouco olhadas pelo mercado imobiliário começam a despertar o interesse dos empreendedores em São Paulo. Na zona oeste, bairros como Jaraguá e Pirituba já concentram dezenas de novas construções. Na zona norte, é a vez da Casa Verde, Mandaqui e Vila Guilherme despontarem. Tanto que este ano esses bairros já superam em número de lançamentos os tradicionais Santana e Freguesia do Ó, de acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudo de Patrimônio (Embraesp).

“As grandes construtoras estão procurando regiões novas para investir. Era comum a região noroeste ser explorada apenas pelas incorporadoras locais. Mas o cenário está mudando e as grandes estão procurando novas frentes. A zona norte, por exemplo, é novo foco dentro da cidade de São Paulo”, afirma Carlos Kapudjian, diretor de unidade de negócios da imobiliária Lopes.

Este movimento se explica pela maior injeção de investimentos no setor impulsionados pelo aumento significativo da oferta de crédito habitacional. Com isso, há incentivo para que se construam empreendimentos mais voltados à classe média. E este é exatamente o perfil de lançamento que tem surgido nessas regiões.

De acordo com dados da Embraesp, de janeiro a agosto deste ano, Jaraguá foi o campeão da região noroeste da cidade e recebeu dez empreendimentos horizontais, num total de 196 unidades. A grande maioria, 160 casas, é de dois dormitórios. As 36 unidades restantes são de três dormitórios. A área útil média desses lançamentos é bem reduzida: 50 metros quadrados. E o valor médio do metro quadrado bastante acessível: R$ 698.

Pirituba vem atrás na região noroeste com cinco lançamentos, mas supera o vizinho em número de unidades: 265 unidades, sendo 215 de dois dormitórios. Lá a área útil é um pouco maior, 59 metros quadrados em média. E o preço também: R$ 1921 o metro quadrado.

Na zona norte, o bairro da Casa Verde foi o que mais recebeu lançamentos: seis ao todo. E nenhum deles é de alto padrão. Todas as 748 lançadas são de dois e três dormitórios, com área útil média de 58,37 metros quadrados. O valor médio da metragem, no entanto, é mais alto. Cada metro quadrado custa R$ 2.313, em média. Lá, o volume de empreendimentos nos primeiros oito meses deste ano já supera o total lançado no ano passado: 448 unidades.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.