21/09/2009

Novas moradias somam 1,8 milhão

Fonte: O Globo

O fato mais significativo na área de habitação, captado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2008, está ligado aos motivos que provocaram o crescimento no número de novas moradias – 1,8 milhão – ao longo de doze meses.

A explicação básica é a de que houve um aumento significativo tanto no índice de pessoas que passaram a viver sozinhas, quanto no de domicílios com apenas dois moradores – indicando aparentemente, neste último caso, a formação de novos casais.

“O aumento no aparecimento de novos domicílios foi sem dúvida influenciado pelo crescimento do número de pessoas naquelas duas faixas”, disse o economista William Kratochwill, do IBGE.

PAÍS JÁ TEM 6,9 MI DE LARES SÓ COM UM MORADOR – Casas e apartamentos com apenas um morador tiveram um aumento de 12% em todo o país, elevando o total nesta faixa para 6,9 milhões de domicílios. Três regiões despontaram nesse quesito: a Sudeste e a Sul, com o índice de 12,8% cada uma; e a Centro-Oeste, com 12,7%.

A tradutora Patrícia Barata foi um dos brasileiros que, no ano passado, decidiram morar sozinhos. Ela se mudou da casa dos avós, em Jacarepaguá, para um apartamento em Botafogo. Ele é pequeno – quarto, sala, cozinha e banheiro compactos -, mas o capacho na porta, com a inscrição “Área VIP”, não deixa dúvidas: trata-se de um lugar especial.

– Na época, minha avó argumentou que o que eu gastaria no aluguel poderia investir em viagens de táxi. Mas eu trabalho em casa e, para isso, é preciso disciplina. Com mais gente sempre há a sensação de que, se você está em casa, está disponível – justificou Patrícia.

Ela adotou o café solúvel nas refeições matinais – “cafeteira só quando tem visita” – e passou a cuidar da casa e da roupa. O trabalho dobrou, mas a privacidade, garante, faz tudo valer a pena:

– Além disso, os meus amigos estão todos na Zona Sul, e isso fez a minha vida social melhorar muitíssimo. E como a casa é minha, “mala” não entra. Mas ainda estou me estruturando: não é fácil montar uma casa – admitiu ela.

AUMENTA O NÚMERO DE MORADIAS PRÓPRIAS – O aumento de moradias com duas pessoas subiu 22,2% nacionalmente (para 12,7 milhões de domicílios). O destaque nesse grupo aconteceu no Sul (25,6%) – seguido do Sudeste (23,9%) e do Centro-Oeste (22,3%).

No país inteiro houve um aumento de 0,4% no índice de domicílios permanentes, que passaram a um total de 57,6 milhões. Pouco mais de dois terços deles (70,1%) são próprios e já quitados. Cresceu também levemente (0,2%) a cifra de residências em aquisição – ou seja, as que ainda não foram totalmente pagas.

Elas representam 4,3% de todo o estoque de imóveis residenciais. O índice dos alugados permaneceu exatamente igual ao registrado no ano passado: 16,6%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.