11/11/2013

Novo IPTU pode gerar alta nos aluguéis em SP

De acordo com o Creci, imóveis com aluguel mensal de até R$ 1 mil representam 59,92% do total de novos contratos

Fonte: ZAP Imóveis

O aumento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), barrado pela Justiça apesar da aprovação na Câmara dos Vereadores de São Paulo e sanção do prefeito Fernando Haddad, pode mexer no mercado de locação da capital paulista.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

O aumento do imposto de até 20% para imóveis residenciais e de até 35% dos comerciais e industriais pode gerar um aumento até nos valores dos aluguéis novos na cidade.

Novo IPTU pode gerar alta nos aluguéis em SP
Os aluguéis caíram 13,95% em agosto em relação a julho, ainda segundo o Creci (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

Segundo o Creci-SP (conselho dos corretores), independentemente do reajuste da PGV (Planta Genérica de Valores), que funciona como base de cálculo para o IPTU, o novo imposto irá impactar não somente no valor de venda dos imóveis, mas também nos novos contratos de aluguel.

“Qualquer reajuste, no valor do imposto ou na PGV, impacta negativamente em qualquer contrato para uma das partes”, afirmou ao José Augusto Viana Neto, presidente do Creci, ao jornal Destak.

De acordo com o último levantamento do conselho, imóveis com aluguel mensal de até R$ 1 mil representaram 59,92% do total de novos contratos formalizados pelas imobiliárias consultadas no mês de agosto.

Neste período, os novos inquilinos optaram preferencialmente pelas casas – foram 57,28% do total. Já os apartamentos somaram 42,72%.

Apesar disso, os aluguéis caíram 13,95% em agosto em relação a julho, ainda segundo o Creci. A queda no número de novas locações ocorreu em três das quatro regiões do Estado que compõem a pesquisa: Interior (- 11,26%), e nas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (- 44,87%), que formam a Grande São Paulo.

Já Capital registrou retração de 1,99%, enquanto no Litoral houve aumento de 10,07% no mesmo intervalo de comparação.

A prefeitura de São Paulo ainda deve recorrer da decisão judicial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.