20/10/2014

Novos empreendimentos consolidam o Central Parque, em Porto Alegre

Novos empreendimentos consolidam o Central Parque, em Porto Alegre

Fonte: Revista do ZAP

Seguindo uma tendência mundial de organizar o desenvolvimento das regiões, o bairro planejado, lançado pela Rossi em 2009, é hoje uma realidade na rotina da capital gaúcha

Segurança é, sem dúvida, um dos itens mais considerados na hora de escolher o próximo imóvel. Além disso, mobilidade na região, disponibilidade de infraestrutura e variedade de serviços são pontos de atenção do futuro comprador. Considerando esses fatores, os bairros planejados saem na frente dos outros. Ainda com espaço para crescer mais, o Central Parque mostra que está consolidado no cenário da capital: já são cinco empreendimentos entregues, um em construção, um lançamento e outro em fase de pré-lançamento.

“Quando começamos a divulgar esse produto, nosso foco era a vantagem do bairro planejado. Hoje, o Central Parque é realidade, conhecido pelo público. Não temos em estoque nenhuma unidade ali localizada”, comenta Gustavo Kosnitzer, diretor da Regional Sul da Rossi.

Segundo Kosnitzer, o Central Parque se encontra em uma área de mais de 30 hectares e já tem dois terços do potencial explorado. “Nossa dificuldade de construir novos produtos não é falta de demanda ou descrença na região. Estamos, sim, dependentes da aprovação de novos projetos junto à Prefeitura”, conclui.

Crescimento lógico
“O Central Parque não foi só uma oportunidade; foi um crescimento lógico de Porto Alegre junto ao Jardim Botânico”, acredita Kosnitzer. Para ele, o investimento da Rossi na região acelerou o desenvolvimento latente da região. “Quando se investe com intensidade em uma nova área, potencializa-se o seu crescimento”, defende.

Potencial de crescimento
Gustavo Kosnitzer comenta que, por ter desenvolvido a área, pode oferecer suas unidades a preços competitivos quando comparados a outros bairros de alto padrão. “No Central Parque, os preços estão defasados em relação a zonas nobres de Porto Alegre”, revela o diretor da Regional Sul da Rossi. Para ele, isso justifica o potencial de valorização, aliado ao planejamento da área.

Organização
Os bairros planejados consideram também o estilo de vida dos moradores.  Hoje se percebe dois comportamentos: enquanto a insegurança e o tempo escasso fazem com que as pessoas busquem desfrutar de momentos de lazer próximo de casa, também há uma tendência de aproveitar os espaços urbanos. Nesse sentido, a ordenação dos planejados favorece a rotina, já que entrega à cidade diversos espaços comuns de convivência – e aos moradores, no caso do Central Parque, grandes áreas de lazer.

“O bairro planejado permite infraestrutura completa, como grandes academias perto de casa.Temos empreendimentos que ocupam 30 mil metros quadrados de terreno. Isso é praticamente dez vezes o tamanho da área usual. Esse espaço é utilizado para diversos tipos de infraestrutura”, explica Kosnitzer.

Outros investidores
Um dos terrenos do Central Parque foi escolhido pela Nex Group para abrigar o FWD, com lançamento previsto para novembro. O empreendimento alia apartamentos compactos e completa infraestrutura no condomínio.

Gustavo Kosnitzer diz que a intenção da Rossi é agir como desenvolvedora urbana; dessa forma, a Nex Group chancela a qualidade do bairro e acelera seu desenvolvimento. Já para Vinicius Batista, diretor comercial da Nex Group, a vantagem do Central Parque é ser um empreendimento consolidado, com uma série de unidades lançadas, entregues e comercializadas.

central parque-rossi-mapa

 

>> Veja imóveis à venda no Central Parque

busca-imóvel-pense vender-imóvel-pense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.