16/09/2007

Novos olhares na decoração

Fonte: O Globo

Fotografia ganha valor como obra de arte e conquista as residências

Carlos Ivan Zap o especialista em imóveisA geometria do Congresso Nacional foi retratada pelo fotógrafo francês Marcel Gouterau e ganha destaque no projeto de Cynthia Pedrosa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se comparado ao mercado americano e europeu de arte fotográfica, o brasileiro está apenas engatinhando. Mas já é notório, no país, o aumento de galerias, museus e até lojas de decoração com espaços dedicados à fotografia. O valor da obra, dizem os especialistas, é medido pela qualidade do papel em que foi impressa a imagem, pela limitação da tiragem e, claro, pela assinatura do artista.

Lembrando o mestre da fotografia artística Henri Cartier-Bresson, a arquiteta Cynthia Pedrosa diz que hoje há muitos profissionais que não só retratam, mas transmitem emoção em seus registros. Num de seus projetos, Cynthia usou fotos do Congresso Nacional, de Marcel Gouterau:

— São imagens que mostram a interessante geometria de uma obra arquitetônica.

Simone MarinhoZap o especialista em imóveisPaisagens do Rio clicadas por Markos Fortes compõem a estante

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para a arquiteta Mariana Fortes Figueiredo, a fotografia permite uma maior flexibilidade na composição da decoração que pinturas, gravuras e esculturas. Num de seus últimos projetos, ela criou uma estante com quatro prateleiras e, na superior, colocou três trabalhos de Markos Fortes.

— Com a fotografia, podemos brincar com os tamanhos. E a foto em preto-e-branco tem a vantagem de se integrar com facilidade aos outros elementos da casa, podendo inclusive ser usada numa parede de cor.

Simone MarinhoZap o especialista em imóveisRegistros do cotidiano, como meninos de favela num banho de lama, marcam o trabalho de Márcia Folleto, à venda na loja de móveis italianos Atrium

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A fotógrafa Márcia Foletto, do GLOBO, que tem obras à venda na Atrium Rio, loja de móveis italianos, ressalta que o mercado ainda é restrito, mas estão surgindo novos colecionadores de fotografia no país.

— São pessoas que buscam o trabalho de autor ou mesmo a fotografia documental. Na decoração, as pessoas procuram imagens que tenham afinidade ou, apenas, que tenham prazer em observar — diz Márcia, contando que seu trabalho diário no fotojornalismo permite um contato diferenciado com ângulos do Rio que as pessoas não estão acostumadas a ver. — Apesar de trabalhar com câmera digital, costumo levar uma câmera com filme preto-e-branco para essas imagens.

Imagens das cidades natais de um casal decoram quarto

Simone MarinhoZap o especialista em imóveisRio e Niterói são o tema das fotos de Custódio Coimbra escolhida por uma carioca e um niteroiense

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi a afinidade com o tema que fez com que um casal de clientes da designer de interiores Lilian Clébicar usasse, na decoração do quarto, três fotos de Custódio Coimbra, fotógrafo do GLOBO. Ele, niteroiense, e ela, carioca, escolheram fotos das duas cidades. Estão lá o Museu de Arte Contemporânea (MAC), a cidade do Rio vista de Niterói e, no centro, o Cristo Redentor com a lua por trás, parecendo ser um crucifixo.

— As fotos, fixadas num painel de madeira laqueada branca, com iluminação embutida, sobre uma parede mostarda, são o destaque do projeto. 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.