08/09/2010

Número de domicílios próprios cresceu 13,4% em cinco anos, segundo o IBGE

Fonte: O Globo
Região Norte foi a que apresentou maior proporção de casas próprias em 2009 (Foto: Divulgação)
Região Norte foi a que apresentou maior proporção de casas próprias em 2009 (Foto: Divulgação)

Entre os anos de 2004 e 2009, o número de casas próprias no Brasil cresceu 13,4%, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), divulgada nesta quarta pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Do total de 58,5 milhões de imóveis estimados em 2009, 69,4% estão quitados (40,6 milhões) e 4,3% em aquisição (2,5 milhões). Apesar da alta numérica, a participação dos domicílios próprios no total de residências ficou estável, já que o número de imóveis cresceu de maneira geral.

Entre as localidades pesquisadas pelo IBGE, a Região Norte foi a que apresentou maior proporção de casas próprias em 2009, com 78,7% do total de domicílios naquela localidade. Em seguida aparecem o Nordeste (76,2% do total), o Sul (76,1%), o Sudeste (71,8%) e o Centro-Oeste (65,4%).

Na comparação com 2008, houve uma alta de quase 300 mil domicílios adquiridos. Nesse caso, no entanto, em termos percentuais, houve queda na participação desse tipo de imóvel, que caiu de 74,4% em 2008 para 73,6% em 2009.

Já a proporção de alugados chegou a 17% em 2009, representando 10 milhões de domicílios, contra 15,4%, em 2004 (8 milhões). Os domicílios cedidos somavam 5,2 milhões (8,8%) no ano passado.

12% dos domicílios têm apenas um morador – Dos 58,5 milhões de domicílios estimados em 2009, 18,3% tinham cinco ou mais moradores, após uma queda de aproximadamente 1% ao ano, desde os 23,3% registrados em 2004. Os domicílios com dois e três moradores aumentaram conjuntamente de 42,8% para 47,7% e os com apenas um morador passaram de 10,4% para 12% no mesmo período. O número médio de pessoas por família residente em domicílio particular foi de 3,1 pessoas em 2009, o mesmo registrado em 2008.

LEIA MAIS:

Déficit habitacional cai com a construção de 450 mil novas moradias desde 2007

Crédito imobiliário para casais gays ganha mais mercado

Receita com compra e venda de imóveis cresceu 20,8% em 2008

2 Comentários

  1. O que preocupa com a euforia da casa própria é a qualidade dos imóveis que estão sendo comercializados, principalmente os oferecidos à classe média baixa que é o grande foco do mercado hoje. Obs. Um tremor de terra hoje no Brasil seria uma tragédia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.