25/05/2007

O ‘milagre’ da casa própria rápida

Fonte: Jornal da Tarde

Bancos reduzem a burocracia para liberar o crédito imobiliário mais rápido aos interessados

Infográfico/AEZap o especialista em imóveisMenos filas e mais regalias para atrair os clientes na disputa entre bancos

Na busca por novos clientes, que muitas vezes acabam assinando contratos de até 20 anos, os bancos têm tentado agilizar cada vez mais o processo do financiamento imobiliário e reduzir ao máximo a burocracia – o principal fator que sempre atrasa a liberação do dinheiro. Normalmente, pode demorar até 90 dias para a instituição financeira analisar o pedido de crédito e entregar o contrato assinado ao mutuário. Porém, com os esforços concentrados, o prazo pode cair para até um mês.

Um dos principais problemas que atrasa o processo é justamente a extensa lista de documentos exigida pelos bancos. “As certidões têm prazo limitado e, muitas vezes, por conta da demora na análise de crédito, a validade expira, e o consumidor tem de solicitar uma nova”, lamentou Carlos Eduardo Duarte Fleury, superintendente geral da Associação Brasileira Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

A principal reclamação dos consumidores é que, para financiar um carro, basta ir à concessionária, aprovar o crédito e sair com o veículo. No caso de imóveis, a demora pode chegar a três meses, mas a meta das instituições financeiras é reduzir para no máximo dez dias – do momento em que a pessoa entrega a documentação até a assinatura do contrato.

Para reduzir o prazo, os bancos já começaram a diminuir a papelada necessária para requerer o financiamento. O HSBC, por exemplo, está investindo na criação de centrais de crédito imobiliário nas principais cidades brasileira, como São Paulo. O banco está criando locais específicos onde os pedidos de financiamento são analisados por especialistas, o que reduz o prazo de liberação do dinheiro de 90 para 30 dias. “Muitas vezes, demorava duas semanas para recebermos todos os documentos do cliente. Agora, até ligamos para a casa das pessoas para cobrar as pendências”, contou o diretor de crédito imobiliário do banco, Roberto Sampaio.

O Real também decidiu reduzir a burocracia para não perder espaço para os concorrentes. A empresa já diminuiu a quantidade de papéis necessários de 30 para 16 itens, facilitando a vida dos consumidores.

Em 2006, o Santander Banespa lançou um plano de financiamento sem necessidade de comprovação de renda, voltado para imóveis em construção. A quantidade de documentos também foi alterada para dinamizar e agilizar todo o processo. Além disso, a empresa também passou a permitir que duas pessoas sem vínculo familiar ou matrimonial somem os rendimentos para compor a renda. Com a documentação correta, o Santander garante que o crédito sai em 15 dias.

Facilidades

Outra forma de desburocratizar o financiamento imobiliário e, desta forma, liberar o dinheiro mais rápido, é investir em serviços de despachante. O superintendente-executivo do Bradesco, Osmar Roncolato, explicou que o banco oferece essa facilidade, como um serviço opcional, mas com um custo ao candidato a mutuário. “É um serviço opcional. Para quem contrata, enviamos um despachante para reunir a documentação no menor tempo possível.”

Essa é uma forma de evitar que o próprio interessado vá aos cartórios atrás das certidões, correndo o risco de reunir os documentos de forma incorreta. além de buscar os papéis, os despachantes normalmente entregam tudo em um processo organizado, da forma como o banco julga ser mais fácil para fazer a análise.

Algumas das ‘graças’ oferecidas

HSBC
Para quem contrata a linha Credimóvel, destinada à compra de imóveis de acima de R$ 200 mil, o banco libera um serviço de despachante gratuito

No caso da contratação de outros produtos de crédito, o serviço é cobrado

REAL
Reduziu a lista de documentos exigidos de 30 para 16 itens

SANTANDER BANESPA
Oferece um plano sem comprovação de renda para imóveis em construção

Banco permite que duas pessoas sem vínculo familiar ou matrimonial somem os rendimentos para compor a renda

Santander reduziu a quantidade de documentos e exige apenas os documentos pessoais do comprador e do vendedor do imóvel, os comprovantes de renda, a matrícula do bem e a certidão
de tributos imobiliários

BRADESCO
Banco oferece um serviço de despachante ao consumidor, mas há cobrança

CAIXA
Interessado em comprar um imóvel já sabe na hora da entrevista o limite do crédito pré-aprovado (antes demorava pelo menos cinco dias)

Cliente da Caixa consegue comprovar rendimentos com mais facilidade e paga 1% menos de juros nas prestações

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.