23/05/2008

O novo bairro da Liberdade

Fonte: Jornal da Tarde

Projeto de revitalização vai mudar a cara do tradicional bairro dos imigrantes orientais

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisPerspectiva de como vai ficar a Praça da Liberdade após a reforma

O recém-aprovado projeto de revitalização do bairro da Liberdade, parceria entre o Instituto Kobayashi e a Prefeitura de São Paulo, promete mudar a cara do bairro. Com recursos da iniciativa privada e apoio da Prefeitura, o reduto dos imigrantes orientais na Região Central da Capital vai ganhar
novas praças, fachadas de edifícios serão reformadas, as tradicionais lanternas japonesas serão substituídas por modelos mais novos e as calçadas serão totalmente reformadas.

O principal objetivo do autor do projeto, o arquiteto Márcio Lupion, é atrair tanto visitantes quanto novos moradores ao bairro. Para isso, o projeto de Lupion está todo pautadona reorganização da linguagem visual do bairro. “Presenciei uma cena que me marcou e foi importante para a idealização do projeto. Vi um grupo de turistas japoneses chegando na Praça da Liberdade. Eles não entenderam nada, não se identificaram com nada que tinha na praça”, explica.

Ed Viggiani/AEZap o especialista em imóveisVista da Praça da Liberdade hoje, local onde começa a revitalização

O projeto de revitalização da Liberdade, que Lupion prefere chamar de correção urbana, vai começar justamente na Praça da Liberdade, em frente ao Banco Bradesco, um dos patrocinadores da obra. Depois, o projeto continua pelo trajeto feito pelo imperador japonês Akihito em sua viagem ao
Brasil, há onze anos. O ‘Caminho do Imperador’, nome do projeto, vai incluir as ruas Tomás Gonzaga, Galvão Bueno, os viadutos Cidade de Osaka, Guilherme de Almeida, Mie Ken e Shuhhei Uetsuka e a Praça Almeida Junior.

As obras serão pagas por empresas, que, em troca, poderão explorar a publicidade nos locais, seguindo a Lei Cidade Limpa. Mas, segundo o arquiteto Márcio Lupion, o projeto não vai terminar com o fim das obras. A idéia é usar os grupos que já existem no bairro, associação de moradores, de
comerciantes e conselho de segurança, para ajudar amanter o local, a gerir o bairro. “Por isso esse projeto tinha de ser na Liberdade. Porque no bairro já há essa cultura de cuidar do local”, explica.

Quando implementado, o Caminho do Imperador, deve trazer
valorização ao bairro da Liberdade. “Tenho certeza que isso vai acontecer porque já está acontecendo. Já percebemos que desde que começamos a discutir o projeto, há um ano, alguns terrenos chegaram a dobrar de preço”, diz o  arquiteto. Com o bairro mais bonito e organizado, a tendência é a atração de visitantes e de pessoas interessadas em morar na região.
“Podemos pensar no exemplo da Oscar Freire. As pessoas gostam de ir lá, e a moradia na região é disputada. Queremos que o mesmo aconteça com a Liberdade”, completa Márcio Lupion.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.