14/05/2009

Oferta de imóveis retomados triplica no Feirão da Casa Própria de 2009

Fonte: O Globo

O motivo seria a maior rapidez no processo do banco para retomar e avaliar o imóvel, para logo colocá-lo à venda

Rio de Janeiro – A oferta de imóveis retomados de mutuários inadimplentes triplicou na edição 2009 do Feirão da Casa Própria da Caixa no Rio de Janeiro: passou de 860 para 3 mil unidades, mas o banco garante que este crescimento não está associado à crise ou a um aumento da inadimplência dos clientes. O motivo seria a maior rapidez no processo do banco para retomar e avaliar o imóvel, para logo colocá-lo à venda.

A Caixa sempre teve um estoque grande de imóveis retomados, mas só conseguíamos colocar estas unidades à venda no Feirão quando estavam desembaraçadas legalmente. Este ano, foi feito um esforço para preparar a maior quantidade possível para o evento – explica a gerente regional do banco no Rio de Janeiro, Solange Barata Duarte.

O maior número de contratos de financiamento com alienação fiduciária também está diretamente associado a essa rapidez na retomada de imóveis, segundo a gerente regional da Caixa. Com essa garantia, adotada nos contratos do banco assinados a partir de 2001, o imóvel permanece em nome da instituição financeira até a quitação da dívida. Em caso de inadimplência do mutuário, pode ser retomado a partir do 30º dia de atraso, independentemente do percentual do financiamento que o mutuário já pagou.

Antes, a hipoteca era a principal garantia do crédito imobiliário. Neste caso, o imóvel era passado para o nome do mutuário quando ele contratava o financiamento. No atraso de pagamento, o mutuário tinha mais tempo para tentar negociar com o banco.

COMPRA EXIGE CUIDADO REDOBRADO – O preço de um imóvel retomado sai bem mais baixo porque o banco cobra um valor igual ou um pouco superior ao prejuízo que teve no financiamento não cumprido. Todavia, a maioria dessas unidades ainda está habitada pelo antigo proprietário no momento da venda e desocupá-lo pode levar anos. Se o imóvel estiver ocupado, o interessado não tem garantia de poder visitá-lo antes da compra, porque isso dependerá da concordância do atual ocupante. Para os imóveis vazios, a visita é agendada pela Caixa.

No caso dos 3 mil imóveis oferecidos no Feirão da Caixa 2009, a maior parte está na Zona Oeste da cidade e pouquíssimos estão desocupados. É difícil encontrá-los na lista disponível no hotsite do Feirão. Um desses raros exemplos de unidade desocupada fica na Barra da Tijuca. Trata-se de um apartamento de dois quartos, com varanda e três vagas na garagem que fica na Avenida Embaixador Abelardo Bueno, nº 3.000/1104 bloco 5. A área total é de 95m² e o preço é de R$ 200 mil.

Durante o evento, quem estiver interessado em adquirir um imóvel retomado deve procurar um dos corretores credenciados no convênio Caixa/Sindimóveis, que estarão na área de negócios do evento. Para facilitar a busca, o banco prometeu distribuir no local, no primeiro dia, uma revista com a lista dos imóveis disponíveis por bairro, com endereço, preço mínimo e situação (ocupado ou não).

No Feirão, só há venda direta de imóveis retomados. Mas em outra ocasião, quem estiver interessado nesse tipo de unidade pode adquiri-la em um leilão ou em uma concorrência pública também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.