28/08/2007

Os dados já estão rolando

Fonte: Jornal da Tarde

O segundo semestre é o momento ideal para ir atrás da casa própria. Jogue os dados e siga em frente…

Arte: Marcos Müller/AEZap o especialista em imóveis

Os consumidores que estão em busca da casa própria podem aproveitar este fim de ano para escolher o imóvel e pedir o financiamento bancário: além do pagamento do 13º salário e da restituição do Imposto de Renda, que podem ser usados para dar a entrada no bem, as instituições financeiras privadas, as estaduais, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil ainda têm cerca de R$ 15 bilhões de reserva nos cofres para liberar em financiamentos daqui até o fim do ano – e os valores podem ser ampliados caso a demanda cresça.

Somando todos os recursos estimados no início do ano, da Caixa e das outras instituições financeiras do País, o mercado imobiliário teria R$ 29,4 bilhões para fornecer aos interessados em comprar um imóvel em 2007.

O superintendente geral da Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Carlos Eduardo Duarte Fleury, disse que, no início do ano,que só os bancos privados, a Nossa Caixa e o Banco do Brasil previam aplicar R$ 12 bilhões. Além disso, a Caixa Econômica Federal, por sua vez, anunciou, em janeiro, R$ 17,4 bilhões.

Até julho, as empresas privadas, Banco do Brasil e Nossa Caixa já tinham liberado R$ 8,5 bilhões – sobram, portanto, R$ 3,5 bilhões.Já a Caixa Econômica, segundo especialistas, ainda tem cerca de R$ 11,5 bilhões nos cofres da instituição – totalizando os R$ 15 bilhões festejados pelo mercado.

Porém, sabe-se que, se a procura pelos financiamentos imobiliários crescer, a oferta também deve ser turbinada. “”Com os bons resultados do setor, podemos até mesmo ampliar esses recursos, se houver um aumento na demanda””, afirma Fleury.

Boa parte da expectativa dos credores, para este segundo semestre, se dá pelo incremento de dinheiro na economia. Um dos fatores é que muitas pessoas já estão recebendo a restituição do Imposto de Renda. Além disso, as empresas têm até o dia 20 de dezembro para depositar o 13º dos funcionários, caso o pagamento seja em parcela única. Os patrões que optarem por dividir o valor são obrigados a acertar a primeira parte até o fim de novembro.

Por fim, parte do dinheiro pago como Participação nos Lucros e Resultados (PLR) é depositada no segundo semestre, o que deve motivar os trabalhadores a comprar um imóvel. “”Os bancos têm folga de aplicação e vão fazer o que o mercado demandar. Há uma previsão inicial, mas podemos superá-la se for preciso e acreditamos que este segundo semestre será muito produtivo para o setor””, argumentou o diretor de crédito imobiliário da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Osmar Pinho Roncolato.

A entidade confirma que o crédito para o setor tem um comportamento melhor nos seis últimos meses de cada ano, justamente pelo aumento da confiança do consumidor para investir a longo prazo. “”O pagamento do 13º incentiva a pessoa a dar uma entrada no imóvel e assumir a dívida do financiamento. Além disso, as grandes categorias, como os bancários, negociam aumento salarial no segundo semestre, que normalmente vem acrescido de PLR e 13º salário.””

Segundo a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (Aabic), outros motivos contribuem para a expansão do crédito imobiliário e ao aumento da procura por parte dos candidatos a mutuários: o alongamento dos prazos para quitar a dívida, o incremento dos recursos para pessoas físicas, a estabilidade financeira do País e a redução das taxas de juros.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.