14/10/2007

Os medalhistas da vila

Fonte: O Globo

Atletas matam saudades do Pan, enquanto compradores se preparam para tomar posse dos imóveis

Lucíola VilellaZap o especialista em imóveisA atleta Juliana Veloso volta à Vila, a convite do “Morar Bem”, e finge que está saltando em uma piscina: emoção e surpresa com as mudanças no complexo, que agora ganha equipamentos de condomínio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A partir de janeiro, quem passar pelo apartamento 603 do Edifício Santo Domingo, um dos 17 prédios da Vila do Pan, poderá ler uma plaquinha dizendo “Aqui ficou hospedado Frank Caldeira, medalha de ouro no atletismo nos Jogos Pan-Americanos de 2007”. Essa, pelo menos, é a proposta da Agenco, construtora do empreendimento: todos os proprietários que hospedaram medalhistas brasileiros receberão a plaquinha informativa. Mas, é claro, vai pendurar na porta quem quiser.

O dono do 603 é o arquiteto Cecil Couto Stevens. Que, não fosse esta reportagem, ainda estaria morrendo de curiosidade para saber que atleta tinha ocupado seu imóvel. Quando soube da plaquinha, Stevens disse logo que vai aderir:

— Eu tenho uma filha de 17 anos e ela vai ficar orgulhosíssima de saber que vai morar no apartamento onde ficou o Franck Caldeira. Que ótimo: meu apartamento se valorizou ainda mais — acredita Stevens, que mora na Tijuca, mas já está encaixotando seus pertences para se mudar para a Vila em janeiro.

Já atletas como o próprio Franck Caldeira e o nadador Thiago Pereira, que conquistou sete medalhas no Pan, dizem que, se tivessem oportunidade, comprariam os apartamentos onde ficaram hospedados.

— Diziam que os Jogos iam começar sem que os imóveis estivessem concluídos, mas tudo na Vila parecia, sim, muito bem acabado — lembra Caldeira.

— Éramos oito atletas, dois em cada quarto, e ficamos instalados confortavelmente. As recordações são muito boas — diz Thiago.

O fato é que o mercado estima que, do lançamento da Vila do Pan para cá, houve uma valorização média das unidades entre 25% e 35%, dependendo do tipo de imóvel. Os 1.480 apartamentos, que serviram como alojamento para os atletas, foram quase todos vendidos na planta, em fevereiro de 2006 (96%), com o compromisso de serem entregues aos compradores, pintados como novos, em janeiro de 2008.

Para alguns proprietários, os imóveis que foram ocupados por medalhistas hão de dar sorte. É o que pensa o auditor Claudecy da Silva, dono do 304 do Edifício Cali, em que ficou a atleta de saltos ornamentais Juliana Veloso, medalha de bronze no Pan:

— Espero que o que aconteceu de bom para ela agora venha para a minha família.

Juliana, aliás, também achou ótima a idéia das plaquinhas.

— Um amigo e outros sete companheiros compraram dois andares inteiros de um dos prédios. Na época do Pan, esse amigo me ligava e pedia para eu ir checar quem eram os atletas que estavam lá — conta Juliana, durante visita emocionada à Vila, feita em setembro, com a equipe do “Morar Bem”.

Equipamentos esportivos estão sendo retirados

Juliana ficou desolada ao ver que o refeitório não existe mais. É que os equipamentos do CO-RIO estão sendo retirados para dar lugar a portarias, piscinas, academias de ginástica e parques, entre outras áreas comuns do condomínio.

— O cuidado que os atletas tiveram com a Vila foi grande. Mas a pintura já era prevista para que os proprietários recebessem as unidades novinhas em folha — explica Sérgio Goldberg, presidente da Agenco.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.