10/10/2008

Os tapetes não são apenas itens complementares na decoração

Fonte: Globo online

Engana-se quem pensa que eles são necessários somente nas cidades com baixas temperaturas. Há várias opções antitérmicas como o náilon, a lycra e o kilim

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisProjeto assinado por Luiz Marinho com tapete em listras multicoloridas

Rio – Para tirar o melhor proveito dos tapetes é sempre bom ter em mente que eles delimitam os espaços, trazem cores aos ambientes e dão aconchego à decoração. Podem complementar ou serem eles mesmos o destaque na ambientação. Também são elementos importantes para a acústica de um lar, evitando a reverberação do som.

Engana-se quem pensa que eles são necessários somente nas cidades com baixas temperaturas. Há várias opções antitérmicas como o náilon, a lycra e o kilim. Uma das vantagens da lycra é possibilidade de o tapete ser lavado constantemente sem perda da cor e com secagem rápida.
Regina Gallego, sócia da Casa Plural e representante exclusiva da By Kamy, conta que há mais de dez mil modelos diferentes de tapetes feitos em diversos materiais nacionais e importados.

O tapete é acessório que tem muito peso na decoração. É como tubinho preto que ganha cara nova a partir do que for usado para compor o visual. Obviamente, isso vai depender da escolha de cada pessoa. Há quem prefira o tapete apareça bem e comece a pensar na decoração da casa a partir do tapete – afirma Gallego.

Zap o especialista em imóveisTapete confete, feito com fios de náilon contínuos, da designer Regina Kato

Ela conta que não são raros os casos de clientes que se arrependem de deixar o tapete como o último item da lista de compra, pois a escolha acaba sendo comprometida com os móveis e pisos já adquiridos. Outra recomendação para pensar antes de se investir em algo, é ter clareza da dinâmica da casa, analisando se é, realmente, viável ficar com um tapete de lã felpudo e ma-ra-vi-lhoso se há crianças, animais de estimação ou alérgicos na casa. Ela também indica que sejam feitos testes onde os tapetes serão colocados para checar as estampas e os tons adequados. 
 
Há uma mudança no que se vê nas lojas e dentro das casas, especialmente por conta da iluminação. Basta abrir a janela, para que a luz do sol dê uma tonalidade diferente daquela que foi vista na loja – afirma Gallego.

Outra dica é seguir o gosto pessoal e não se restringir ao que está na moda. Um tapete clássico oriental estampado, por exemplo, cai muito bem nos ambientes modernos com móveis de linhas retas e limpas. Dessa forma, todos os itens presentes na decoração acabam sendo valorizados. Ela acredita que o mesmo tapete pode ficar excessivo numa sala onde há móveis muito rebuscados e sofás estampados.

Zap o especialista em imóveisTapete criado pela designer Regina Kato

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A designer Regina Kato, sócia do Ateliê Fernando Jaeger, desenvolve diferentes modelos de tapetes usando fios de náilon contínuos, também diz que não trabalha com o compromisso de seguir tendências e padrões. Para ela a cor é o que mais lhe atrai na hora de criar as peças:

Uso-as como em minha casa, em minha forma de vestir.
Para a designer, também não há regras definidas na hora de usar os tapetes. Não precisam ser muito grandes, nem estar sob as mobílias. Em geral, as pessoas com perfil mais conservadores e sérios optam pelos lisos com textura e desenhos geométricos. Já os mais despojados preferem os autorais e com cores mais fortes. Regina destaca que fios contínuos de náilon não soltam pêlos. São 24 desenhos, que reproduzidos com cores e formas distintas, totalizam 150 opções, desde peças mais lúdicas como formais. Ela trabalha com três linhas: formas geométricas, desenhos orgânicos e texturas.

Kato ressalta que um tapete tem força de valorizar uma decoração. Há opções mais lúdicas e formais.

Os tapetes funcionam quase como um quadro. Suas cores podem aquecer ou esfriar os ambientes. Traz aconchego, conforto e personalidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.