26/03/2009

Pacote deve criar 40 mil empregos no Estado

Fonte: Jornal da Tarde

De acordo com o ministro, hoje são produzidas 1,2 milhão de moradias ao ano

No Estado de São Paulo, a execução do programa ?Minha Casa, Minha Vida? deve gerar cerca de 40 mil empregos diretos. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintracon-SP), seria necessário contratar 200 mil trabalhadores em todo o Brasil para tocar a construção de um milhão de casas em dois anos. ?Esse número seria suficiente para dar conta das obras?, avalia o sindicalista.

Seguindo a mesma proporção, para construir as 184 mil casas que o programa vai custear no estado de São Paulo, 37 mil trabalhadores bastariam, podendo chegar a até 40 mil vagas.

Para o governo, o número deve ser maior: em todo o País, seriam gerados 532 mil empregos diretos, segundo estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas, sob encomenda do Planalto. De acordo com o relatório, o impulso do pacote no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) será de 0,7 ponto porcentual.

Os cálculos do ministro da Fazenda, Guido Mantega, são mais generosos. Ele prevê que o PIB poderá crescer mais 2 pontos porcentuais com o programa. Segundo Mantega, o plano pode mobilizar até R$ 60 bilhões na economia e deve gerar cerca de 1,5 milhão de empregos diretos e indiretos.

O ministro destacou que não só o governo federal, Estados e municípios têm um grande desafio pela frente, mas também o setor privado. De acordo com o ministro, hoje são produzidas 1,2 milhão de moradias ao ano. ?Queremos duplicar esse valor. Não é tarefa fácil?, afirmou. Mantega salientou que o programa é mais uma medida de combate à crise e que vai ajudar o Brasil a encerrar 2009 com PIB positivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.