03/03/2007

Para construir sem destruir o meio ambiente

Fonte: Jornal da Tarde

Mais que uma opção decorativa, produtos ecológicos são uma forma de preservar nosso futuro

Valeria Gonçalvez/AEZap o especialista em imóveisMadeiras certificadas, como as da empresa Ecoleo, ganham mercado e as consciências dos consumidores

Nesses tempos, em que os impactos do aquecimento global sob o clima da Terra têm ficado mais evidentes, é preciso pensar em alternativas para contribuir com a preservação do planeta. Principalmente em nosso país, que tem uma extensa área de mata nativa a ser preservada.

Por isso, um recurso que deve ser cada vez mais ampliado é o da aquisição de madeiras certificadas. Esses produtos vêm com o Selo Verde, concedido pelo Conselho de Manejo Floresta (FSC – sigla do nome em inglês), que garante que a matéria-prima é proveniente de uma área de manejo sustentável, ou seja, veio de floresta nativa ou reflorestada, mas explorada de forma adequada do ponto de vista ambiental e social.

O preço ainda é alto – se comparado ao preço de outros tipos de madeiras -, mas a contribuição ambiental que o consumo desse produto proporciona não pode ser mensurado. Mas, encontrar no mercado locais que vendam a madeira certificada ainda é um problema. A maioria é diretamente exportada, e pouco é destinado ao mercado nacional.

Na América Latina, a primeira empresa certificada para revender esses produtos é a Ecoleo, que fica no bairro de Pinheiros, Zona Oeste da Capital. Inaugurada há quatro anos, a loja comercializa diversos tipos de madeira, que são adquiridas de produtores e plantadores também certificados pelo FSC. “Quando o selo surgiu no Brasil, em 1993, a empresa, que atua há mais de 60 anos no mercado madeireiro, interessou-se pelo projeto. Obtivemos a certificação em 2002 e, no ano seguinte, inauguramos nossa primeira loja somente com produtos ecológicos”, conta a gerente da linha, Karla Aharonian.

“Nessa época era difícil até mesmo comprar a madeira certificada para revender, mas o mercado vêm amadurecendo, e, com o conhecimento do público, as vendas, aumentando”, comemora.

A linha de produtos com o selo verde é abrangente. Existem diversos tipos de madeira para variadas aplicações. É possível encontrar compensados crus e revestido, madeira serrada, MDF, painéis de teca, painéis de eucalipto, decks, entre outros. Além de serem usados para toda a aplicação de marcenaria, como fabricação de móveis, também pode ser usado para revestimento de paredes, tapumes e outras aplicações na construção civil.

O valor varia conforme o tipo de madeira, o tamanho e espessura da placa. Os tipos mais indicados para a construção são a sucupira, muíra catiara, roxinho, breu vermelho e ipê amarelo. Mas, Karla ensina que o projeto no qual será utilizado deve sempre levar em consideração que, para ser realmente sustentável, precisará utilizar espécies variadas de madeira e, conseqüentemente, variações de cores da mesma madeira.

Embora a iniciativa seja pioneira e exemplar, a gerente lamenta a falta de conhecimento dos compradores de madeira. “Primeiro, temos de vender a idéia e, só então, vender o produto. Tem muita gente que não conhece, por isso ainda há muito a ser feito.”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.