27/01/2009

Para enfrentar a crise

Fonte: Jornal EXTRA

Técnicos dos ministérios da Fazenda e da Caixa Econômica estudam ainda a ideia de que os recursos do FGTS possam ser usados mensalmente para pagamento das prestações do empréstimo habitacional

O setor de construção civil e os financiamentos habitacionais serão alvos de mudanças nesta próxima semana. O governo prepara alterações na área, que devem ser divulgadas até sexta-feira, para evitar que a crise financeira tenha reflexos significativos na venda da casa própria. Uma das possibilidades é a ampliação do valor máximo do imóvel financiado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) que hoje é de R$ 350 mil, mas poderá chegar a R$ 500 mil.

Técnicos dos ministérios da Fazenda e da Caixa Econômica estudam ainda a ideia de que os recursos do FGTS possam ser usados mensalmente para pagamento das prestações do empréstimo habitacional. Hoje, esse mecanismo é permitido mas não como uma operação automática e nem mensal. Pela proposta em discussão, em vez de os 8% recolhidos pelo empregador todo mês irem para a conta vinculada do trabalhador, o dinheiro seria destinado ao banco onde o mutuário fez o financiamento.

Os planos do governo incluem ainda uma espécie de seguro-desemprego nas parcelas da casa própria. Segundo a presidente da Caixa, Maria Fernanda Coelho, os mutuários que não lançarem mão do benefício ao longo do parcelamento terão um desconto no saldo devedor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.