30/10/2006

Para quem pode esperar, consórcio é boa opção

Fonte: O Estado de S. Paulo

Antes de entrar num grupo é preciso pesquisar sobre empresas e programar-se para assumir o compromisso

Consumidor pode consultar Procon e site do Banco Central para saber sobre empresa

Serviço

Comprar um imóvel no sistema de consórcio é escolha para quem busca o segundo apartamento, casa, ou para aquele que está poupando dinheiro. Isto porque o crédito imobiliário só é liberado a partir de lances e sorteios.

“Este tipo de consórcio não pode ser comparado ao de carro, pois o valor dos lances é muito mais alto’, explica o diretor do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), Celso Petrucci. “Quem tem pressa em adquirir um imóvel porque vai se casar logo ou quer sair da casa dos pais deve buscar outra saída”, diz.

O Banco Central é a instituição que autoriza o funcionamento de consórcios.

Para tornar o negócio mais seguro pode-se verificar no site do BC ou pelo telefone 0800-99 2345 se a empresa é uma administradora de consórcios e está autorizada a comercializá-los.

“O consumidor tem direito de conhecer todas as informações para poder exercer o direito de escolha”, afirma a assistente de duração do Procon-SP, Dinah Barreto. “Nem sempre o dinheiro que se vai conseguir com o crédito acompanha o preço de mercado do imóvel ou terreno que pretende comprar.” Visitar a administradora também é uma forma de certificar se ela realmente existe. “Como a maioria dos consórcios não é vendida na sede das empresas o ideal é o cliente ir até o local para checar se as informações repassadas pelos vendedores são verdadeiras”, recomenda a presidente da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (Abac), Consuelo Amorim.

Segundo ela, uma das principais dúvidas dos consumidores é sobre a devolução do dinheiro. Isto é regulado pelo contrato, mas a maioria dos consórcios só devolve o dinheiro com a conclusão do grupo.

Sorteio

Quando o consumidor é sorteado ou dá um lance vitorioso recebe do consórcio uma carta de crédito imobiliário no valor do grupo, como R$ 100 mil por exemplo. “A prestação é corrigida uma vez ao ano seguindo o INCC (Índice Nacional da Construção Civil)”, diz Petrucci. “Existem consórcios sérios no mercado” Até o consumidor ser contemplado ele é credor. Depois passa a ser devedor já que assume a dívida da carta de crédito. É por isso que as empresas não exigem garantias no momento da adesão, mas depois do sorteio ou lance.

São formados grupos de 60 meses a 120 meses. Petrucci explica que muitas pessoas optam por investir neste negócio. “No consórcio imobiliário é cobrada uma taxa de administração que varia entre 13% e 16% calculados sobre o tempo de duração do grupo e do valor escolhido. No início o valor dos lances é alto e corresponde entre 70% e 50% do valor do imóvel.

Serviço 

www.bcb.gov.br,
www.secovi.com.br
www.procon.sp.gov.br,
www.abac.org.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.