25/08/2008

Para quem valoriza estilo

Fonte: Jornal da Tarde

Pelo fato de esses imóveis serem objeto de desejo de algumas pessoas, as unidades que vagam vendem e alugam muito rapidamente

O modelo de prédio baixo, construído entre 1940 e 1960, sem elevador, como o modelo dos prédios da Hípica, se repete em vários bairros de São Paulo. Em nenhum deles, no entanto, há um conjunto, como o da Hípica, mas, em todos, a qualidade de moradia se mantém. “Esses apartamentos são amplos, bem ventilados e tem muito charme. Eles são disputados no mercado pelos mesmos motivos das casas de vila. São charmosos, e as pessoas que querem morar nesses locais abrem mão de ter elevador, muitas vagas na garagem, aparato de segurança e estrutura de lazer”, diz José Eduardo Cazarin, da imobiliária Axpe.

Pelo fato de esses imóveis serem objeto de desejo de algumas pessoas, as unidades que vagam vendem e alugam muito rapidamente. “Quem quer morar nesses locais sabe que não vai encontrar nada parecido e toma decisão rápido, pagando até mais caro do que pagaria para outros tipos de imóvel na mesma região”, completa Cazarin. O preço que se paga por esse tipo de imóvel está relacionado com a oferta e a procura. Como não existe esse tipo de construção do mercado de lançamentos, quem quiser morar em um genuíno predinho tem que esperar vagar uma unidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.