09/02/2009

Para seu patrimônio não ruir

Fonte: Jornal da Tarde

Muros de arrimo podem livrar você de grandes prejuízos e riscos em épocas de chuva

Em época de chuvas, a resistência de um muro de arrimo, sistema de contenção que dá estabilidade a um terreno com aclives, é posta à prova. Caso não seja bem instalado ou a obra não seja supervisionada por um especialista, pode causar desmoronamentos e até buracos no solo.

Fotos: Valéria Gonçalvez/AEZap o especialista em imóveisDependendo da altura do muro de arrimo, ele pode ter até 1,5 metro de largura para resistira à pressão da terra

Antes de construí-lo ou optar por esse sistema, é necessário lembrar que qualquer que seja a altura da inclinação de terra existente no terreno, a contenção é necessária caso seja feito um corte na terra para sua construção ou expansão. Mesmo em declives suaves, pode ser necessária a colocação de uma cortina, de dimensões mais delgadas do que um muro de arrimo. A cortina serve para alturas de até 3 m e tem a largura de uma parede, em torno de 30 cm. Um muro de arrimo para a mesma altura tem até 1,5 m de largura.

“Em terra acumulada de apenas 20 cm de altura sem proteção, já é possível haver um carreamento de terra. Com a chuva, essa porção do terreno assoreia e pode criar buracos enormes”, explica Luiz Sérgio Mendonça Coelho, professor do curso de Engenharia Civil do Centro Universitário da FEI.

A construção irá depender fundamentalmente da análise do solo do local, bem como da altura do aclive. Um perfil geológico detalhado do terreno (se é úmido, seco, composto por rochas, areia ou argila etc.) é essencial para escolher o apoio para o muro. “O solo podre pede um estudo mais restrito, que é extremamente variável conforme a região”, explica.

As opções de materiais são diversas: vão desde alvenaria, concreto, madeira, solo-cimento até pedra limão acertada com argamassa. “Vai depender dos recursos do proprietário”, explica Mendonça. Porém, mais do que mera opção, a escolha do material demanda cuidados.

Caso a opção seja por muros de alvenaria, Mendonça indica o bloco de concreto. “Tijolo comuns podem não resistir sem armação. A construção do muro em formato de arquibancada é necessária. Mas, mesmo assim, a água provoca o desgaste da peça ao longo do tempo. Deve-se, portanto, evitar o contato do tijolo com a água.”

A proteção mais acessível são blocos de solo-cimento. “Até 3 m, ele resiste bem a intempéries e pode ser colocado sobre terra mole. Já o concreto tem restrições em alguns ambientes”, conclui Mendonça. Muros de até 10 m podem ser compostos por blocos. Já muros maiores devem ter estruturas armadas.

Zap o especialista em imóveisEntre as matérias-prima, concreto, solo-cimento ou pedra, com o acima

CUIDADOS – A construção de um muro de arrimo deve ser supervisionada por um engenheiro civil. De preferência, um profissional especializado em edificações ou geotecnia.

A construção irá depender fundamentalmente da análise do solo do local, bem como o grau de inclinação do terreno.

Muros de tijolos comuns podem não resistir sem estruturação. É necessária a construção do muro em formato de arquibancada e solução para evitar o contato com a água.

Blocos de solo-cimento são uma opção econômica. Resiste bem à intempéries e pode ser colocado sobre terra mole.

Muros de até dez metros podem ser compostos por blocos. Já muros maiores devem ter estruturas armadas. 

LEIA MAIS:

Chuvas: é melhor dar uma força ao muro

Apenas 8% dos lares têm seguro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.