30/10/2006

Película: do automóvel para dentro de casa

Fonte: O Estado de S. Paulo

Produto muito utilizado em automóveis, a película de vidro deve ser bastante requisitada na arquitetura. É a aposta que a Solutia, uma gigante fabricante de películas, faz para o Brasil. Desde o lançamento da LLumar, há seis meses, sua marca mundial, ela já conta com pelo menos trinta pontos de vendas no País.

Para Celso Procknor Filho, representante de Serviços Técnicos da empresa, “o mercado é promissor e está em franca expansão, pois o produto é pouco usado e não muito conhecido”, diz. “Há uma carência por um produto de melhor qualidade e com serviço especializado”, detalha Procknor Filho.

Na construção civil, essas películas são divididas em três categorias: a de segurança, a de controle solar e a decorativa. Podem ser combinadas, como a de segurança, que também pode oferecer proteção solar, por exemplo. Feitas para o vidro já instalado na obra (solução retrofit) é de instalação e manutenção simples. “Além da facilidade de aplicação, a película agrega segurança e proteção, sem trocar o vidro” ressalta Procknor.

A película é feita a partir de uma ou mais camadas de poliéster (material plástico) acrescidas de aditivos, conforme o resultado desejado. Para o controle solar, por exemplo, a adição de metais reflete a luz e o calor, proporcionando maior conforto térmico ao ambiente e conseqüente economia com ar condicionado, além de proteger os objetos do ambiente interno de desbotamentos.

Em relação à segurança, as opções variam conforme a espessura da película. As mais finas seguram os estilhaços do vidro em caso de quebra, protegendo o vão afetado (janelas, por exemplo), facilitando e retardando a troca do vidro. Ela pode ser um bom recurso para proteger as crianças no caso de quebra de objetos desse material. As películas mais robustas têm uma resistência maior e dificultam muito a ação de um ladrão. Procknor faz a ressalva de que nesses casos o tipo do vidro influencia essa resistência do produto final.

Já as películas decorativas, segundo Procknor, são mais utilizadas em ambientes internos, em especial boxes de banheiro. Como solução para fachadas, ele cita a facilidade na troca de cores de um estabelecimento comercial, feita manualmente. “A outra opção são os vidros laminados, em que a película é acondicionada entre dois vidros, como um sanduíche. Nesses casos, por se tratar de um processo industrial, para se fazer a troca de cores é necessária a troca dos vidros” explica.

Procknor diz que a limpeza dos vidros com a película pode ser feita da mesma maneira que a de vidros comuns, com os produtos encontrados nos supermercados. No entanto, recomenda o uso de um pano úmido ou papéis especiais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.